Histórias de Clientes

Dengo: a deliciosa experiência do ecommerce ao vivo

Sorana Gheorghiade
Sorana Gheorghiade February 4, 2021
Dengo: a deliciosa experiência do ecommerce ao vivo

As vendas de chocolates finos da Dengo estão prosperando durante a pandemia, com uma experiência de loja ao vivo que conecta o consumidor à experiência sensorial das sobremesas premium. Esta marca brasileira de chocolates finos optou por atualizar sua experiência única ao combinar as funcionalidades da VTEX Commerce Platform com o talento de produção de conteúdo digital da StreamShop. E o ponto de destaque deste ambicioso projeto é uma solução de live-streaming que traz todos os rituais da Dengo diretamente até você sem violar as regras de distanciamento social. 

A Dengo surgiu de uma iniciativa de projeto social em 2017, focada na geração de riqueza, trazendo dignidade e remuneração justa aos pequenos e médios produtores de cacau da Bahia. A questão passou a ser como transformar um projeto social em um negócio com impacto social. Guilherme Leal e Estevan Sartoreli são as mentes por trás deste admirável projeto que vai além do comércio e da tecnologia. 

“Acreditamos que realizando tais mudanças na forma como fazemos o nosso negócio, estamos contribuindo para um mundo melhor. A Dengo é o sabor de mudar o mundo”.

Estevan Sartoreli, CEO da Dengo


Uma empresa que respeita a natureza

“Dengo” é uma palavra bem brasileira. Pode significar muitas coisas boas como: ternura, carinho, afeto, troca, um presente. Também pode ser usada como referência a nossos entes queridos. A julgar por todas essas associações positivas, pode-se até dizer que o mundo precisa de mais dengo. A marca tem um modelo de negócio muito original; monitoram a produção de cacau, selecionam todos os grãos, fazem o chocolate e todas as etapas estão relacionadas à proteção do meio ambiente, das florestas e ao amor pela flora e fauna nativas. Simplificando, a Dengo se destaca por um suprimento responsável, atenção aos detalhes e um foco extremo na experiência e no atendimento ao cliente. 

Fundada com a natureza e a tradição na sua essência, os especialistas e fabricantes de chocolate da Dengo desenvolvem misturas brasileiras que combinam sabor e saúde, tudo em uma experiência profundamente sensorial destinada a mostrar ao paladar o que é bom. Dando mais atenção ao principal recurso, o cacau, e comprando-o acima do preço médio do mercado, a Dengo incentiva um sistema de remuneração justo e transparente, não afetado pelas regras de preços competitivos. 

“O que o agricultor recebe é um preço superior ao preço do produto negociado na bolsa de Nova Iorque. Devemos pagar mais para mostrar respeito à renda e ao padrão de vida das pessoas”. 

Estevan Sartoreli, CEO da Dengo

Há três pilares na proposta comercial da Dengo. No topo da lista, é o respeito por todos os atores que fazem com que a marca de chocolate atinja o seu potencial: desde os agricultores até os funcionários que compartilham inteiramente os valores da Dengo. O segundo pilar é inspirar os clientes e outras marcas a agirem de forma consciente sobre o seu modelo de negócio. Por último, mas não menos importante, a base da produção de chocolate consiste em um método claro e simples: ingredientes de alta qualidade são o mais importante. 

Com a redução do uso de embalagens e mais de 60% dos gastos destinados a materiais nobres, a Dengo se orgulha de ter uma cultura que visa cada vez mais a sustentabilidade. O cliente paga o mesmo valor de um outro chocolate premium no mercado brasileiro, mas que não é produzido com o mínimo de açúcar adicionado, sem gorduras saturadas ou aromatizantes. 

“Na Dengo temos um tratamento especial com os nossos clientes pois valorizamos as pessoas. E as valorizamos em cada etapa do processo, desde aqueles de quem compramos nossas sementes de cacau, cada pessoa da nossa equipe, ao consumidor final, aquele que consome o nosso produto. O respeito é a base de todas as nossas atividades. Todas as pessoas com quem trabalhamos se identificam com nossa causa e nossos valores”. 

Estevan Sartoreli, CEO da Dengo


Menos físico, mas ainda assim atraente  

Desde que a Dengo foi fundada, ela tem um canal de ecommerce com a VTEX, o qual tinha um baixo nível de desempenho em comparação à receita obtida pelas lojas físicas. O coronavírus fez com que as empresas reinventassem a integração entre as lojas físicas e o ecommerce. Por sorte, a Dengo começou a elaborar a sua experiência ao vivo em 2017. 

Inspirado em uma queijaria de Amsterdã, onde o cliente podia acessar a loja on-line e clicar nos produtos das vitrines para ver a sua descrição, Estevan levou esta ideia a Márcio Machado, fundador da StreamShop, e a dupla assumiu isso como seu novo objetivo digital. Através do ecommerce, eles quiseram reproduzir o calor da experiência humana e providenciaram um serviço de transmissão ao vivo na loja da Dengo, visando reproduzir a experiência da vida real. 

Eles usaram sua equipe de vendas das lojas físicas para trazer essa sensação de dentro da loja para o canal digital. Quando perguntado sobre o que levou a Dengo a se adaptar à solução de comércio ao vivo, Estevan disse que “o ecommerce precisa ser mais humano“. A premissa era dar às pessoas o que estão sentindo falta: interação humana, conteúdo real, uma réplica perfeita do que elas teriam no mundo real.


O cacau está ao vivo!

O projeto de experiência ao vivo estava pronto em novembro de 2019, muito antes de qualquer pandemia. Não se sabe se tiveram uma ótima intuição, mas a Dengo com certeza acertou ao preparar sua experiência on-line antecipadamente. Em apenas alguns meses, o objetivo foi alcançado: criar um canal de vendas ao vivo para atrair os clientes.

A maneira como o ecommerce ao vivo funciona é bem simples: ao entrar na loja on-line da Dengo, você pode ver o ícone “compre ao vivo” no canto superior direito. Quase instantaneamente, um especialista aparecerá ao vivo na sua tela para guiá-lo pelo mundo do chocolate premium como se você estivesse ali mesmo, provando-o. Você faz sua escolha, adiciona o produto à sacola e um entregador receberá o seu pedido, que chegará até você em uma hora. O horário de funcionamento da loja ao vivo é das 12h às 20h, horário de Brasília. 

O que o cliente não vê é o equipamento de vídeo instalado na frente do balcão e totalmente conectado à plataforma on-line. A Dengo não teve custos de plataforma pela experiência de comércio ao vivo e a configuração das integrações é muito fácil. Nos bastidores, há um aplicativo headless clássico, orientado a API e construído sob medida. 

O Comércio Headless é a abordagem moderna que permite uma empresa selecionar e montar várias soluções de comércio e utilizá-las para atender exigências específicas, assim como a experiência ao vivo da Dengo. Além disso, ela permite que você opte pelas melhores soluções de terceiros. Melhor ainda, imagine a arquitetura interna da transmissão ao vivo como uma interface em camadas em que a parte superior é o que o cliente vê no site e a inferior é a plataforma de comércio de APIs trabalhando para transformar os cliques em pedidos. Agora, no meio, acrescente uma camada com uma transmissão de vídeo que se encaixa perfeitamente com as outras duas. Essa é a ferramenta de experiência de comércio ao vivo.

“A Dengo e a StreamShop lançaram a opção ao vivo no meio da pandemia. Acho que foi muito bom criarmos um tipo de operação diferente que não aumenta a carga de trabalho do cliente, que pode gerenciar todo o catálogo através da VTEX, tornando-o totalmente conectado e muito fácil de operar”.      

Marcio Machado, Fundador da StreamShop



Superando o vírus com chocolate

Antes do início da pandemia em março, o ecommerce da Dengo costumava receber alguns pedidos por dia. Depois que as lojas físicas foram fechadas, o ecommerce teve um aumento de mais de 1000% em pedidos por dia. Os líderes de mercado hoje em dia são os que fizeram o dever de casa sobre o ecommerce bem antes da pandemia e investiram no que mais importa: interagir com os clientes em todos os canais.

“No início, não tínhamos ideia de como estimar os custos da implementação das transmissões ao vivo, mas sabíamos que tínhamos que fazê-lo pois isso traria muito valor à marca”.

Estevan Sartoreli, CEO da Dengo

As compras físicas e o ecommerce dificilmente podem ser separados, mas considerados como um conjunto. O que Estevan afirma sobre o fenômeno é que “quanto mais forte você estiver em um, melhor será o seu desempenho no outro”. Outro fator importante que determina o sucesso de um negócio é a fidelidade do cliente e o engajamento com sua comunidade. Portanto, não vamos subestimar o poder de uma presença local muito boa. 

A loja ao vivo da Dengo surgiu para criar uma nova experiência de compra, mantendo o contato humano e a proximidade enquanto utiliza todo o potencial que a tecnologia e a internet têm a oferecer. A loja foi a primeira a fazer um modelo deste tipo no Brasil. Estevan disse que não quer que a Dengo cresça e perca sua essência, ele quer que as coisas sejam humanas, honestas e ecologicamente corretas. Sua opinião sobre o futuro da Dengo é bastante simples, mas cuidadosa: “não precisamos que nossa empresa seja perfeita; precisamos que seja humana”.

Continue lendo: artigos relacionados
Histórias de Clientes

Como a geolocalização aumentou consideravelmente a eficiência operacional da ERIK’S

Há algo único na compra de uma bicicleta, especialmente quando se compra uma de alta qualidade. Os clientes,…

Lucila Thompson
Lucila Thompson
Estratégia

Como a Sally Beauty obteve sucesso em tempos de crise junto com a VTEX

Sally Beauty é uma empresa americana especializada em produtos de beleza, com presença em 17 países e com…

Javiera Riedel
Javiera Riedel
Estratégia

Grupo Éxito, uma história de sucesso do ‘Dia sem IVA’

O imposto sobre vendas na Colômbia é de 19%, por isso foi um grande negócio quando o governo…

Sorana Gheorghiade
Sorana Gheorghiade
Histórias de Clientes

Os novos passos da Ri Happy no comércio digital

Introdução  Sobre a empresaA Ri Happy é a maior marca brasileira do varejo infantil. Fundada em 1988 por…

Guilherme Lerner
Guilherme Lerner
Estratégia

Da moda para o mercado: Como a Miniprix se reinventou em apenas uma semana

Em tempos de coronavírus, a moda deu um passo atrás, e os varejistas do setor foram afetados. A…

Andreea Pop
Andreea Pop
Estratégia

Como a Ametller Origen alcançou um crescimento de 10x dos seus serviços online em 5 dias

A arquitetura flexível de comércio da VTEX possibilita que as vendas on-line da mercearia espanhola cresçam cinco vezes…

Allan Chung
Allan Chung
Estratégia

Como o Omichannel e a Assinatura VTEX impulsionaram a digitalização da Cobasi

Sobre a empresa A Cobasi iniciou suas atividades em 1985, como uma loja de produtos destinados à atividade…

Guilherme Lerner
Guilherme Lerner
Estratégia

Como a Miniso concluiu um projeto de cinco meses em apenas cinco semanas

Miniso é uma varejista internacional especializada em produtos de inspiração japonesa e acumulou seguidores na Ásia. Quando eles…

Daniel Aleixo
Daniel Aleixo
Veja Mais
Registro feito com sucesso