Estratégia

5 dicas para reduzir os custos de processos logísticos em seu e-commerce

Luiz Samico
Luiz Samico September 17, 2020
5 dicas para reduzir os custos de processos logísticos em seu e-commerce

Quer saber o que é necessário para reduzir os custos de processos logísticos no seu negócio? Leia este artigo!

O setor de logística é uma peça extremamente estratégica para o sucesso das empresas. Além de garantir que os pedidos cheguem até os clientes, esse departamento tem um papel fundamental na experiência do consumidor e na forma com que ele vai se relacionar com o negócio. Quando a experiência é negativa, por exemplo, a confiança do cliente é impactada e prejudica a relação com a empresa. 

Isso sem falar nos custos. Um estudo realizado pela Fundação Dom Cabral revela que 12,37% do faturamento das empresas é destinado aos gastos com logística. Esse custo representa quanto é preciso desembolsar para manter o processo funcionando. Quando há falhas, a despesa pode ser ainda maior. 

Para qualquer empresa, 12% do faturamento é uma fatia considerável, por isso é fundamental organizar os processos para reduzir os custos de processos logísticos e impedir que eles cresçam. A seguir, você vai conferir 5 dicas que preparamos para te ajudar com esse desafio. 



Quais são os principais custos de processos logísticos

Os processos logísticos geram diversos custos para a empresa, devido a toda cadeia que precisa movimentar e todos os fatores que envolve. 

caixas no centro de distribuição
Imagem de Falco por Pixabay

A seguir, você vai ver quais são os principais e entender porque podem impactar o negócio:

  • Armazenamento | Os produtos que serão despachados, devem ser armazenados em um local específico, que não cause avarias e os mantenham totalmente conservados. Isso inclui desde embalagens e plásticos, até o ambiente.

    Algumas empresas não conseguem lidar com o grande volume de produção e solicitação, por isso acabam alugando um local temporário para o armazenamento de sua mercadoria.
  • Transporte | Além do transporte da mercadoria para o cliente, é bastante comum que o pedido seja enviado para pontos de coleta diferentes. Isso acontece, por exemplo, quando a empresa não tem nenhum transportador que atende a região do cliente. 

    A mercadoria precisa ser enviada para outro centro de distribuição – ou até mais de um ponto, o que gera mais custos. 
  • Movimentação | A movimentação é um custo quase invisível, pois está relacionada com o tempo de deslocamento. Isso inclui, por exemplo, o tempo que um produto demora para chegar até o centro de distribuição. Quando a empresa tem apenas um meio de transporte, precisa aguardar ele retornar para fazer outros envios. 

    Não só isso. O deslocamento de equipamentos, recursos tecnológicos e profissionais dentro da empresa também geram gastos operacionais.
  • Pessoal | A folha de pagamento é um dos maiores custos para uma empresa. No processo logístico, esse custo pode variar, pois quando há uma grande demanda, a empresa precisa lidar com a contratação de mais profissionais ou ainda pagar horas extras para a equipe.

Agora que você sabe quais são os custos logísticos e os principais tipos, você vai conferir algumas dicas para reduzi-los. Acompanhe! 

#1 Analise seus custos fixos e variáveis

Custos variáveis são aqueles que não são pagos ou necessários todos os meses, como matéria-prima, embalagens, suprimentos de produção etc. Pode ser que em algum mês a sua empresa não tenha nenhum custo com esse tipo de recurso, pois sobrou do mês anterior.

empilhadeira cuidando da armazenagem de mercadorias
Imagem de Pashminu Mansukhani por Pixabay

Custos fixos são aqueles que você sabe que tem que pagar todos os meses, como aluguel do imóvel, folha de pagamento, contas de energia, água, internet etc. Ou seja, são aquelas despesas que você sempre terá que pagar, não terá sobra de um mês para o outro. 

Com base nisso, você deve avaliar quais são os custos fixos e variáveis do seu negócio. Colocar na ponta do lápis e entende o que apresenta maior impacto para as finanças da empresa. Assim, você consegue identificar o que não é necessário e pode ser descartado.

#2 Acompanhe os seus indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho ou KPIs (Key Performance Indicator) revelam informações importantes sobre o seu negócio. Mostram como está a produtividade no negócio, como as entregas estão sendo realizadas, se os prazos estão sendo atendidos, se os clientes estão satisfeito, entre outros.

Esses dois últimos pontos podem revelar um alto custo para o seu negócio. Quando os prazos não são atendidos, por exemplo, o produto pode voltar para o centro de distribuição, pois o cliente não foi encontrado. Assim, é gerado um custo com uma nova tentativa de entrega.

No caso da insatisfação dos clientes, diversos fatores podem estar envolvidos, como o atraso, uma avaria no produto, entre outros. Ou seja, pode acontecer a devolução do produto e gerar um novo custo. 

#3 Atenção na gestão das suas entregas 

Os pontos que mais geram custos para as empresas – são: atrasos, cliente não encontrado e a insatisfação do cliente – e podem ser solucionadas com uma boa gestão de entregas.

entregador carregando encomenda para entrega
Imagem de cdz por Pixabay

A gestão de entregas permite que o gestor tenha uma visão 360 de todo o processo de entregas e consiga tomar decisões rápidas para evitar que falhas aconteçam. Um sistema de gestão de entregas conecta todos os envolvidos no processo logístico: operador, gestor, cliente e motorista. Dessa forma, é possível eliminar diversas falhas. 

#4 Otimize suas rotas

Um dos principais causadores de atrasos são os problemas que acontecem durante a rota de entrega. Seja porque o cliente não estava, porque o motorista não encontrou o endereço ou porque teve problemas com o veículo e trânsito.

caminhões entrega de mercadorias
Imagem de Uwe Hoh por Pixabay

Um sistema de gestão de entregas faz a otimização da rota de forma automática. Ou seja, caso o cliente não esteja em casa e não reagendou a entrega, o sistema apresenta uma rota de entrega do pedido de um cliente que está mais próximo. O motorista não perde tempo e, enquanto isso, pode tentar contato com o cliente anterior para combinar outro horário.

#5 Monitore em tempo real as rotas de suas entregas

Não encontrar o cliente no endereço é um problema que pode ser resolvido com o monitoramento em tempo real. Esse recurso permite ao cliente acompanhar o seu pedido e saber quando ele será entregue, assim consegue se planejar para estar em casa naquele horário.

O gestor também pode fazer esse acompanhamento e intervir de forma estratégica, sempre que um problema aparecer. 

Como a tecnologia pode ajudar a reduzir os custos de processos logísticos?

Os processos manuais são onerosos para o negócios, perde-se tempo e a chance de erro é maior. As falhas podem levar à empresa a grandes prejuízos, por isso o uso da tecnologia é sempre uma forma de reduzir os custos de processos logísticos.

A tecnologia otimiza o processo, tornando-o mais ágil, eficiente e seguro. Não é necessário realizar diversas conferências, criar planilhas manualmente ou refazer tarefas que foram feitas de forma equivocada. O profissional passa a ter uma posição mais estratégica, analisando e acompanhando tudo.

Outros pontos devem ser considerados na sua análise para reduzir custos de processos logísticos, como o tipo de frota de entrega, por exemplo. 

Fazer uma análise do cenário é fundamental e contar com a tecnologia pode ser um grande diferencial competitivo para o seu negócio. Conheça o VTEX Tracking e veja como esse sistema pode ajudar a reduzir os custos de processos logísticos no seu e-commerce. Faça um teste agora mesmo!

Continue lendo: artigos relacionados
Estratégia

7 passos simples para garantir uma boa usabilidade de uma loja online

Você conhece a importância da usabilidade de uma loja online? Para destacar a sua loja online dos demais…

ESHOPPER
ESHOPPER
Estratégia

Uma linha do tempo para a implementação do conversational commerce

Os novos hábitos de compra dos consumidores, o boom do comércio social e a tendência voltada para a…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Estratégia

Como otimizar o checkout e aumentar a conversão em sua loja online

As vendas no ecommerce vem experienciando um crescimento considerável nos últimos anos. Segundo a Ebit/Nielsen o Brasil bateu…

Caroline Dias
Caroline Dias
Estratégia

9 principais diferenças entre o ecommerce B2C e B2B

Você já se perguntou como cada modelo de negócio requer uma arquitetura e um conjunto de funcionalidades diferentes?…

Iris Irikura
Iris Irikura
Estratégia

Como crescer a sua estratégia omnichannel com live shopping

Se existe algo que é uma constante no mundo digital e no mundo do ecommerce é a inovação…

Taissa Araujo
Taissa Araujo
Estratégia

Aumente o faturamento da sua loja virtual com entregas cada vez mais rápidas

Descubra como as estratégias logísticas usando dark stores têm garantido entregas em tempo reduzidoe se tornado tendência no…

Rebeca Maffra
Rebeca Maffra
Estratégia

O que uma plataforma de comércio omnichannel pode oferecer aos varejistas?

Ninguém entra no varejo pensando “Vou vender este único produto a este preço e neste canal para sempre”.…

Cody Stapleton
Cody Stapleton
Estratégia

Como integrar o conversational commerce em sua operação omnichannel

Um dos paradigmas das marcas é estar disponível onde quer que os clientes estejam e ser capaz de…

Diana Mourão
Diana Mourão
Estratégia

Conversational commerce: a mais nova tendência digital que está fortalecendo as empresas B2C e B2B

Por trás de qualquer tipo de negócio, há um ser humano. Isso é um fato. Portanto, tanto faz…

Juliana Sánchez
Juliana Sánchez
Veja Mais
Registro feito com sucesso