Institucional

Por que a plataforma VTEX cobra um percentual? 3% é muito caro?

Rafael Campos
Rafael Campos April 20, 2016
Por que a plataforma VTEX cobra um percentual? 3% é muito caro?

Trabalhando há quase 8 anos na VTEX, já escutei inúmeras vezes os seguintes questionamentos sobre o modelo comercial da nossa plataforma de e-commerce:

  • “3% é um valor muito alto, minha margem não permite pagar isso.”
  • “Eu não quero um sócio.”
  • “Por que eu tenho que pagar um percentual?”

Se você possui o mesmo pensamento de algumas das frases acima, faça um bem a você e invista 10 minutos do seu tempo. Você poderá tomar uma melhor decisão na escolha da sua loja virtual.

Se você seguiu com a leitura, é porque se identificou com um dos itens acima, certo? Portanto, eu vou fazer uma citação de um livro chamado “Empresas Para Vencer” (Good to Great): Encare a verdade nua e crua (Face the Brutal Fact).

Sim, se você possui uma loja virtual ou se você está pensando em ter uma, a resposta para a primeira pergunta é NÃO! 3% não é um valor alto (logo você entenderá meus argumentos).

Já para o segundo tópico: SIM! Você terá um sócio. Lide com isso. Com relação ao terceiro ponto, espero lhe esclarecer até o final da sua leitura.

A estrutura de tecnologia, juntamente com a infraestrutura (hosting, banda larga, servidores, aplicações etc.) são sócios da operação de uma loja virtual. Quanto mais você faturar, mais você vai gastar.

Se você tem uma loja física, o conceito é igual. Uma loja com 50 metros quadrados, 3 vendedores e 1 checkout suporta até, digamos, 200 mil reais de faturamento mensal com o seu produto.

Se você quiser vender mais, você precisará de mais um vendedor, mais um PDV (checkout), quem sabe até aumentar a estrutura física da loja e pagar mais aluguel. No comércio eletrônico, o raciocínio é o mesmo.

Não está convencido? Conversa de vendedor? Ok! Vamos a prática, não a teoria!

Forrester, uma das principais empresas de pesquisa no mundo realizou um estudo com diversos varejistas para identificar o real custo de tecnologia para uma loja virtual.

Sabe o que essa empresa descobriu? Os varejistas gastam, em média, 7% do seu faturamento com tecnologia. 7%!

A mesma Forrester resolveu fazer a pesquisa no Brasil. Sabe quanto é por aqui? 9%! Sim… 9%.

Você tem certeza que 3% da VTEX é caro?

Se você quer ter uma loja virtual em uma hospedagem mais barata possível, talvez você gaste menos, mas não reclame quando você fizer aquele email marketing para uma base grande e a sua loja ficar lenta.

Não fique desesperado quando você se preparar para o Black Friday e ela cair! O custo disso é um cobertor curto: você pode até cobrir a sua cabeça, mas os pés vão ficar sem cobertor e com frio.

Aí você chegou até aqui e pensou: “Balela, eu vou usar a Amazon AWS”.

Sem problemas! O custo vai aumentar consideravelmente, inclusive, esse é um dos principais pontos que a Gartner pontua sobre as principais infraestruturas do mundo, o alto preço.

Mas aí eu te pergunto:

  • Como você vai manter essa tecnologia?
  • Qual equipe você terá para desenvolver novas funcionalidades?
  • Quem vai fazer a instalação, o teste, o deploy…?
  • Quem fará a gestão da infraestrutura?

Você pode até optar por não ter ninguém, deixar lá, parado. Mas tem certeza que você terá o software mais evoluído? O mais inovador? O que te possibilitará obter a melhor conversão e o melhor custo agregado?

De nada vai adiantar você ter um software simples, sem recursos, sem atualizações. Você terá uma baixa conversão e precisará gerar um tráfego muito grande para conseguir realizar poucas vendas.

Tráfego pago hoje no Brasil é mais caro que gasolina! E vai piorar ainda mais, prepare-se!

Ainda não se convenceu? Bom, então vamos olhar números de mercado? É bastante difícil encontrar empresas que falem abertamente sobre seus custos, principalmente com tecnologia.

Em conversas de corredor, já conversei com gestores de grandes varejos que gastam entre 4% e 5%. Mas como esse artigo não é conversa de pescador, vamos aos fatos.

Pense no Mercado Livre, um dos maiores marketplaces da América Latina, com um grande faturamento. Quanto você acha que eles gastam com tecnologia? 0.5%; 1%; 2%?

Vejam abaixo a tabela!

Em 2013, o Mercado Livre gastou cerca de 8,6% do seu faturamento em tecnologia. Em 2015, o gasto foi de 9,6% e em 2015, 11,7%.

Ué! Mas pera aí! Quanto mais ele faturou, mais ele gastou percentualmente? Se você bateu na porta de algum fornecedor que lhe prometeu algo fixo mensal ou que com o tempo fica mais barato, pasmem! Na prática, não é assim que as coisas acontecem.

Vejam que quanto mais o Mercado Livre fatura, mais ele gasta com tecnologia e cada vez mais, percentualmente. Cadê a prometida escala? Primeiro que desenvolvimento de tecnologia não é tão escalável, só uma empresa de T.I. pode ver isso na prática.

Você aloca um funcionário e ele rende 100%; dois funcionários, 100%; três funcionários, 98%; quatro funcionários, 95% e por aí vai! A cada novo funcionário, a produtividade geral diminui.

Um outro ponto importante é o que chamamos de tijolo de amortização. O investimento que você fez na sua tecnologia deve ser amortizado em 5 anos no seu balanço, onerando recorrentemente a sua capacidade de investimento.

Por último, talvez ainda tenha ficado aquela sensação do “Minha margem não permite com que eu pague 3%.”. O meu conselho é que você leia o nosso artigo falando sobre Custo Agregado. Ele explica com detalhes sobre o custo de uma operação de comércio eletrônico, não somente a plataforma.

Note que, se uma plataforma cobra 3% por exemplo, mas você consegue aumentar proporcionalmente mais as suas vendas e reduzir os seus custos. Você pagará 3% e ainda terá lucro!

Sem falar que um dos seus concorrentes poderá até pagar 0,5% em uma outra plataforma, mas os altos custos de aquisição de um cliente (devido a baixa conversão) e os altos custos operacionais farão com que a operação dele não seja saudável, mesmo pagando menos na plataforma.

Depois de toda essa explicação, se seu plano de negócios onde não suportar o custo de 3% de uma plataforma, você tem duas opções:

  • sua plataforma não gera as condições suficientes para rentabilizar a loja ou
  • realmente sua margem não permite com que você tenha uma loja virtual.

Veja que o item 2 diz NÃO PERMITE COM QUE VOCÊ TENHA UMA LOJA VIRTUAL. Sim, isso é possível. Há mercados em que o varejo eletrônico pode ser inviável financeiramente.

Por fim, ressalto que comércio eletrônico, por mais que aconteça sem a interação pessoa a pessoa, ainda inicia com a palavra comércio.

Portanto, é fundamental que você entenda do seu produto e cliente e saiba comprar e compor seus preços. A plataforma de e-commerce é um diferencial, mas ela não opera milagres.

Fale agora com um dos nossos especialistas para entender mais sobre o assunto e aumentar a rentabilidade da sua loja virtual.

Keep Reading: Related Stories
Institucional

VTEX é a plataforma de e-commerce que mais cresce no mundo, segundo o IDC

O relatório IDC Worldwide Digital Commerce 2019 Market Share, publicado em junho de 2020, indica que a VTEX…

Robert Poratti
Robert Poratti
Institucional

Amor além das siglas: uma conversa sobre afetos

Quando falamos de população LGBTQIA+, costumamos pensar em pessoas que se interessam sexualmente por outras. Muitas vezes nos…

Claudio Lima
Claudio Lima
Institucional

Discriminação profissional e mercado: a cultura é transformada diariamente

No cotidiano do mercado de trabalho, o comportamento discriminatório é um motivo relevante para que alguém desenvolva características…

Augusto Almeida
Augusto Almeida
Institucional

Começando minha carreira sem precisar me esconder

Um relato sobre as novas conquistas da comunidade LGBTQIA+ Lembro-me do meu primeiro dia. De tão nervosa, quando…

Julia Rocha
Julia Rocha
Institucional

Nosso mundo cor-de-rosa tem mais cores

Conheci a VTEX no início de 2018 pelas redes sociais. Na época, uma amiga que trabalhava na sede…

Fernanda Stussi
Fernanda Stussi
Institucional

Empregabilidade para ser quem se é

Nenhuma entrevista é trivial. Apesar do que dizem os textos inspiradores e as autobiografias profissionais com um toque…

Joao Guida
Joao Guida
Institucional

Mercado B2B: como a VTEX encara o desafio de contratar grandes designers

A vaga de Product Designer na VTEX está publicada há quatro anos. Nesse período, foi preenchida várias vezes,…

Daniele Belmiro
Daniele Belmiro
Institucional

Decisões humanas e bem sucedidas: como uma cultura de produto inclusiva pode ser estratégica

Quanto mais influenciamos, mais devemos estar conscientes de nossa responsabilidade. Por favor interprete meu uso do pronome “Nós”…

Davi Costa
Davi Costa
Institucional

Histórias que transformam – Marcos Costa, Summer Internship VTEX 2020.

Marcos está cursando o quinto período de Ciências da Computação e, assim que entrou na faculdade, começou a…

VTEX
VTEX
Veja Mais