Estratégia

Imperativo do Comércio Colaborativo: Por que a colaboração digital-first está no centro do sucesso comercial hoje

Kristin Schepici
Kristin Schepici April 13, 2020
Imperativo do Comércio Colaborativo: Por que a colaboração digital-first está no centro do sucesso comercial hoje

Se a atual crise econômica e de saúde nos ensinou alguma coisa, foi o valor do trabalho em equipe, da assistência e da colaboração. E isso não se limita aos nossos heróis médicos na linha de frente – todos temos que trabalhar juntos de forma mais eficiente se quisermos ter sucesso nas novas normas de vida e trabalho.

Qualquer resistência à tecnologia ou hesitação em se tornar digital ficaram no passado. Estamos vendo indivíduos e empresas adotando uma mentalidade digital-first para garantir que haja o mínimo possível de perturbação nas operações do dia a dia. É aí que a colaboração é fundamental.

Mas o que isso tem a ver com o comércio?


A experiência de compra hoje, independentemente do setor, geralmente ocorre em seis pontos de contato. No entanto, atualmente 55% das empresas não possuem uma estratégia de cruzamento de canais (cross-channel) aplicada; e sabemos que o lifetime value dos compradores é 30% maior quando eles têm uma experiência de compra unificada e sem atritos.

Para atender a essa necessidade, sua estratégia de comércio digital exige integração total de todos os canais, expandindo o alcance de mercado e otimizando as operações. É aqui que o comércio colaborativo entra em jogo.

Do ponto de vista da VTEX, o comércio colaborativo diz respeito a uma colaboração digital com seus clientes e fornecedores para criar um ecossistema digital que ofereça valor incomparável ao comprador e um rápido time to revenue aos negócios. Isso significa:

  1. Conectar-se com novos clientes e sellers através de uma rede de mais de 2000 lojas VTEX em mais de 30 países.
  2. Expandir a variedade de produtos adicionando parceiros (fornecedores, marcas, etc.) para criar seu próprio marketplace digital.
  3. Ampliar o alcance e acessar novos mercados vendendo em outros marketplaces.
  4. Reduzir a complexidade do canal para vender de maneira uniforme e consistente através de toda a sua rede de parceiros de negócios e da cadeia de suprimentos.

Essa abordagem cria um efeito de comércio colaborativo que impulsiona o crescimento rápido de operadores de marketplaces, assim como o de sellers.

Por exemplo:

  • Na Colômbia, o gigante dos hipermercados Grupo Exito está usando os recursos da plataforma de marketplace da VTEX para permitir que mais de 1.000 varejistas se conectem e vendam seus produtos, ampliando seu alcance e facilitando o acesso dos clientes a uma grande variedade de produtos em um único local.
  • A varejista de equipamentos de foto e vídeo F64 e a Dacris, uma empresa B2B de suprimentos para escritório, decidiram usar a solução de marketplace da VTEX para atender à nova demanda dos clientes por trabalho remoto. A F64 agora está vendendo equipamentos de escritório em seu site, e os pedidos são atendidos pela Dacris, enquanto a Dacris está em processo de integração ao estoque da F64 para vender câmeras, microfones e equipamentos de home studio para videoconferência.
  • A marca de moda romena Miniprix atribuía três quartos do seu faturamento a lojas físicas. Depois de registrar uma enorme queda nas vendas devido à pandemia, eles reagiram rapidamente, aproveitando a solução de marketplace da VTEX para reorientar suas operações on-line, abrindo novas linhas de produtos para incluir alimentos não perecíveis. Eles chamaram a iniciativa de Minimarket e a lançaram em menos de duas semanas. A Miniprix agora compra alimentos diretamente dos agricultores locais e gerencia seu fornecimento para os residentes de Bucareste. O feedback do cliente desempenha um papel enorme no processo de compra, uma vez que os compradores do Miniprix decidem quais produtos serão oferecidos. A Miniprix agora planeja transformar o Minimarket em uma unidade de negócios independente.

Por que isso é importante para líderes de negócios como você

De acordo com dados da VTEX, as empresas marketplace-first tiveram um crescimento de 58% em 2019, contra 35% das empresas com uma abordagem tradicional de comércio.

O comércio colaborativo te permite aumentar as vendas e reduzir gastos, expandindo a variedade de produtos, alcançando novos clientes e eliminando os custos de estoque e da cadeia de suprimentos ao adicionar novas marcas e categorias de produtos ao seu portfólio. Você pode:

  • Juntar-se a seus fornecedores e marcas parceiras para criar um marketplace e oferecer uma única parada de compra (one-stop-shop) para tudo que seus clientes precisam.
  • Conectar-se com sellers em todo o ecossistema de marketplace para alcançar novos clientes e vender em conjunto seus produtos e serviços.
  • Ampliar seu alcance de mercado distribuindo produtos e serviços a outros operadores de marketplaces, como Amazon, Alibaba e outros.

Agora que você tem uma compreensão maior sobre o efeito do comércio colaborativo, fale conosco para saber o que ele pode fazer pelo seu negócio em questão de semanas.

Continue lendo: artigos relacionados
Estratégia

Como otimizar o checkout e aumentar a conversão em sua loja online

As vendas no ecommerce vem experienciando um crescimento considerável nos últimos anos. Segundo a Ebit/Nielsen o Brasil bateu…

Caroline Dias
Caroline Dias
Estratégia

9 principais diferenças entre o ecommerce B2C e B2B

Você já se perguntou como cada modelo de negócio requer uma arquitetura e um conjunto de funcionalidades diferentes?…

Iris Irikura
Iris Irikura
Estratégia

Como crescer a sua estratégia omnichannel com live shopping

Se existe algo que é uma constante no mundo digital e no mundo do ecommerce é a inovação…

Taissa Araujo
Taissa Araujo
Estratégia

Aumente o faturamento da sua loja virtual com entregas cada vez mais rápidas

Descubra como as estratégias logísticas usando dark stores têm garantido entregas em tempo reduzidoe se tornado tendência no…

Rebeca Maffra
Rebeca Maffra
Estratégia

O que uma plataforma de comércio omnichannel pode oferecer aos varejistas?

Ninguém entra no varejo pensando “Vou vender este único produto a este preço e neste canal para sempre”.…

Cody Stapleton
Cody Stapleton
Estratégia

Como integrar o conversational commerce em sua operação omnichannel

Um dos paradigmas das marcas é estar disponível onde quer que os clientes estejam e ser capaz de…

Diana Mourão
Diana Mourão
Estratégia

Conversational commerce: a mais nova tendência digital que está fortalecendo as empresas B2C e B2B

Por trás de qualquer tipo de negócio, há um ser humano. Isso é um fato. Portanto, tanto faz…

Juliana Sánchez
Juliana Sánchez
Estratégia

Conversational commerce: riscos e oportunidades

O conversational commerce é uma forma de venda em que as empresas se comunicam com os clientes diretamente…

Consuelo Cabrera
Consuelo Cabrera
Estratégia

Como a tendência de crescimento de pequenos e médios varejistas pode ser impulsionada pelo ecossistema VTEX

De acordo com o estudo citado pela equipe do E-commerce Brasil no Podcast F5, após a temporada de…

Abner Aguiar
Abner Aguiar
Veja Mais
Registro feito com sucesso