Estratégia

Como o método MoSCoW pode ser útil em um projeto de migração de plataforma de ecommerce

Gabriela Porto
Gabriela Porto January 4, 2022
Como o método MoSCoW pode ser útil em um projeto de migração de plataforma de ecommerce

Devido a fatores como muitos detalhes, tarefas demoradas e alto custo, o processo de migração de plataforma de ecommerce envolve decisões diferentes que precisam ser tomadas estrategicamente e estar alinhadas com a visão da empresa para suas metas e seu futuro desejado. Tudo isso economizando tempo e dinheiro e aproveitando ao máximo os sistemas já existentes.

Nesse sentido, é difícil escolher quais características priorizar no início do projeto. Para isso, é necessário entender o cenário atual do negócio, qual seu objetivo e como setores específicos estão olhando para a expansão do comércio digital. Só depois de ter isso em mente, os empresários devem discernir no que focar primeiro. 

Existem muitas formas de definir as decisões devem ser tomadas, e quando e como elas devem ser realizadas: através de pesquisa, análise de tendências, sessões de brainstorming e/ou priorização. Independentemente da forma que você escolher, o objetivo final é o mesmo: classificar os requisitos e reduzir a longa lista de funcionalidades que você quer em seu novo site de ecommerce. 

Um método excelente neste caso é o MoSCoW, que é muito utilizado por gerentes, tomadores de decisão e equipes ao iniciar um projeto totalmente novo.

O que é o método MoSCoW? 

O método MoSCoW é um exercício de priorização baseado na divisão de tudo o que você possa precisar para completar um projeto em quatro categorias, e seu nome se baseia na sigla MoSCoW, em inglês, que significa:

  • Must-haves (o que é imprescindível): as funcionalidades absolutamente necessárias para atingir os objetivos;
  • Should-haves (o que deveria ter): seria bom ter essas funcionalidades, se possível, mas o sucesso geral da plataforma não depende delas;
  • Could-haves (o que poderia ter): funcionalidades que podem ser adicionadas desde que não afetem o prazo de entrega ou o escopo do projeto;
  • Would-like-to-haves (o que gostaríamos de ter): gostaríamos de ter essas funcionalidades eventualmente, mas não há problema se elas forem implementadas em um futuro próximo.

Esse método ajuda as empresas de todo o mundo a equilibrar recompensas e recursos, aproveitando ao máximo as recompensas e utilizando menos recursos. Em operações de ecommerce, ele é altamente utilizado para definir a diferença entre as necessidades básicas e qualquer recurso extra que as lojas online desejem ter em seu projeto de migração de plataforma de ecommerce.

Usando o método MoSCoW na migração de plataforma

Desde a estrutura de migração de dados, passando por integrações novas e úteis até a melhoria da experiência do cliente e da taxa de conversão, todos os elementos devem ser considerados em uma migração de plataforma de ecommerce e ao aplicar o método MoSCoW. Além disso, as empresas podem utilizá-lo para calcular melhor o custo total da oportunidade de migração de plataforma.

Para aplicar o método adequadamente, nossa primeira dica é fazer uma lista de tudo o que sua equipe possa considerar necessário ao migrar de plataforma. Seja focando apenas na transferência de informações, como os dados dos produtos e dos clientes, ou analisando as novas funcionalidades oferecidas pela nova plataforma de ecommerce para o negócio online, coloque tudo no papel. De forma resumida, esse é um exercício divertido para classificar prioridades e garantir que todos de sua equipe estejam alinhados em relação à visão e ao futuro da empresa.

Must-haves (o que é imprescindível)

A parte imprescindível é a mais importante do método e deve incluir tudo o que é absolutamente necessário para o processo de migração. Este passo tem tudo a ver com simplicidade: o que você deve fazer para atingir o principal objetivo dessa migração? Sua operação de ecommerce não funciona sem o quê?

Garanta que todas as necessidades básicas para ter uma operação de ecommerce rentável tenham sido incluídas no processo de migração de plataforma. Fazer esse exercício de priorização é bom para definir o que fazer e em que momento. 

Por exemplo, realizar uma auditoria de SEO do site e uma transferência segura dos dados de catálogo e taxonomia são passos essenciais ao migrar páginas de produtos. Como fazer isso de forma adequada? Contratar uma agência externa para ajudar nesse processo é uma boa solução e provavelmente uma das primeiras coisas que precisam ser feitas. Qualquer tipo de gerenciamento de conteúdo do seu site de ecommerce deve ser uma prioridade também para os varejistas online. 

Sua nova plataforma de ecommerce precisa oferecer um jeito fácil e rápido de fazer essa migração, principalmente com uma solução all-in-one como a VTEX. Com um Sistema de Gerenciamento de Pedidos integrado, a migração de dados é feita mais facilmente e o resultado final é uma visão clara de todas as operações da loja.

Visão preparada para o futuro

Ter uma plataforma de ecommerce com visão de futuro é saber o quanto pode ser feito dentro dessa mesma plataforma sem ter que migrar constantemente devido à obsolescência. 

Recursos como escalabilidade e atualizações automáticas — oferecidos principalmente pelas plataformas Cloud ou SaaS — são dois dos mais populares. Junto com a funcionalidade headless e a facilidade de adicionar componentes, fica fácil incluir ideais que possam surgir eventualmente.

Should-haves (o que deveria ter)

Os “should-haves” são os tipos de funcionalidades que não afetam o resultado final do processo de migração de plataforma. Se você conseguir incluir qualquer um dos “should-haves”, ótimo. Caso contrário, eles definitivamente podem esperar um momento mais maduro do processo de migração. 

Um bom exemplo é a migração para uma plataforma de ecommerce que oferece a possibilidade de vender como marketplace. Se sua empresa ainda não está focada em operações de marketplace, não é preciso priorizar isso. Mas tenha em mente que atuar como marketplace é uma tendência e que a maioria dos sites de ecommerce estão seguindo esse caminho. Portanto, considere essa possibilidade como algo que deveria ter.

E prepare-se, porque os itens da lista de “should-haves” podem ir para a lista de “must-haves” de acordo com o ritmo do projeto. Como já mencionamos, migrar da plataforma é um desafio e você encontrará empecilhos no caminho, portanto, fique atento à necessidade de repriorizar as tarefas enquanto você implementa a nova plataforma.

Could-haves (o que poderia ter)

Um exemplo dessa prioridade poderia ser o oferecimento de um novo meio de pagamento. Será uma novidade do escopo financeiro da migração, desde que não prejudique nenhum outro projeto do departamento financeiro em andamento.  

Às vezes, os “could-haves” são funcionalidades de uma lista de coisas que não puderam ser feitas na plataforma anterior e que estão disponíveis na nova plataforma. Mas não confunda as coisas, e lembre-se de que os “could-haves” costumam ser adicionais às funcionalidades imprescindíveis e uma forma de melhorá-las ao migrar de plataforma. Além disso, tenha em mente não apenas as suas necessidades de negócio, mas também as necessidades dos clientes ao definir essas funcionalidades. 

Would-like-to-haves (o que gostaríamos de ter)

Este é o passo dos sonhos. Você já pensou em incluir ideias malucas, nunca vistas antes, mas não achava o momento certo ou não alocou recursos necessários para testá-las? É isso que o W em MoSCoW representa. Liste cada uma dessas ideias e compartilhe-as com sua equipe para entender que tipo de prioridade você deve dar a elas. 

Além disso, organizar todas essas funcionalidades é um bom jeito de escolher a plataforma ideal de ecommerce para seu modelo de negócios, pois pode dar uma ideia do que é possível fazer de acordo com as necessidades futuras esperadas para seu negócio online.

O método MoSCoW resumido

O método MoSCoW é uma maneira muito boa de definir que tipo de prioridades são necessárias para seu negócio não apenas durante um projeto de migração de plataforma, mas também ao descobrir novas estratégias e executá-las. Não podemos prever o futuro do comércio digital, mas existem jeitos de se preparar para ele. Organizar suas vontades e necessidades utilizando o método MoSCoW é um bom primeiro passo nesse sentido.

Continue lendo: artigos relacionados
Estratégia

7 passos simples para garantir uma boa usabilidade de uma loja online

Você conhece a importância da usabilidade de uma loja online? Para destacar a sua loja online dos demais…

ESHOPPER
ESHOPPER
Estratégia

Uma linha do tempo para a implementação do conversational commerce

Os novos hábitos de compra dos consumidores, o boom do comércio social e a tendência voltada para a…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Estratégia

Como otimizar o checkout e aumentar a conversão em sua loja online

As vendas no ecommerce vem experienciando um crescimento considerável nos últimos anos. Segundo a Ebit/Nielsen o Brasil bateu…

Caroline Dias
Caroline Dias
Estratégia

9 principais diferenças entre o ecommerce B2C e B2B

Você já se perguntou como cada modelo de negócio requer uma arquitetura e um conjunto de funcionalidades diferentes?…

Iris Irikura
Iris Irikura
Estratégia

Como crescer a sua estratégia omnichannel com live shopping

Se existe algo que é uma constante no mundo digital e no mundo do ecommerce é a inovação…

Taissa Araujo
Taissa Araujo
Estratégia

Aumente o faturamento da sua loja virtual com entregas cada vez mais rápidas

Descubra como as estratégias logísticas usando dark stores têm garantido entregas em tempo reduzidoe se tornado tendência no…

Rebeca Maffra
Rebeca Maffra
Estratégia

O que uma plataforma de comércio omnichannel pode oferecer aos varejistas?

Ninguém entra no varejo pensando “Vou vender este único produto a este preço e neste canal para sempre”.…

Cody Stapleton
Cody Stapleton
Estratégia

Como integrar o conversational commerce em sua operação omnichannel

Um dos paradigmas das marcas é estar disponível onde quer que os clientes estejam e ser capaz de…

Diana Mourão
Diana Mourão
Estratégia

Conversational commerce: a mais nova tendência digital que está fortalecendo as empresas B2C e B2B

Por trás de qualquer tipo de negócio, há um ser humano. Isso é um fato. Portanto, tanto faz…

Juliana Sánchez
Juliana Sánchez
Veja Mais
Registro feito com sucesso