Estratégia

Mercado de ecommerce no Brasil: tendências e novas perspectivas

Erick Buzzi
Erick Buzzi September 24, 2021
Mercado de ecommerce no Brasil: tendências e novas perspectivas

A pandemia foi um intenso catalisador para o ecommerce, acelerando projetos e tendências que levariam anos para se concretizarem. Como essa intensidade se manteve ao longo do primeiro semestre de 2021, prepare-se para um mercado em constante ebulição, com novas tecnologias, elevada concorrência e disputa por profissionais especializados cada vez mais escassos. 

Neste artigo, destaco oito tendências que, bem trabalhadas, podem ser grandes estratégias para o sucesso da sua operação de ecommerce. Você sabe se está verdadeiramente preparado para enfrentar as dificuldades e aproveitar as oportunidades que o futuro nos reserva?

Ecommerce B2B

O ecommerce B2B ainda é uma fração das transações globais digitais, ou seja, há muito espaço para crescer. Com a tecnologia acelerando atividades ao substituir processos manuais, a transformação digital chega, com cada vez mais força, em empresas de toda a cadeia B2B – da indústria à logística, em todos seus níveis hierárquicos. Marketplaces B2B arrojados conquistaram espaço oferecendo uma experiência próxima ao que já encontramos no B2C: interfaces, ferramentas e fluxos eficientes, modelos de assinatura, funcionalidade de recompra, composição de carrinho e muito mais. Novos projetos devem considerar design e usabilidade, além de excelência em recursos específicos do B2B como painéis com status de pedidos, automação nos processos, trocas e devolução, bem como apoiar a tomada de decisão do comprador ao exibir limites de crédito, custo de frete e impostos, entre outras informações.

Com relação ao atendimento, com um suporte automatizado low touch, que confere maior autonomia ao cliente que realiza compras recorrentes – muito comuns no B2B – as empresas podem destinar os recursos de Customer Excellence de forma mais estratégica. De um lado, fidelizam o consumidor posicionando-se como um canal de apoio às compras de baixo grau de complexidade, enquanto os executivos de contas têm mais tempo hábil para desempenhar papéis estratégicos e consultivos – como o desenvolvimento de estratégias personalizadas. É a experiência do cliente cada vez mais em foco.

Customer Excellence

A digitalização tornou a aquisição de clientes mais escalável, replicável e automatizável, enquanto a experiência e a entrega da proposta de valor, nem sempre. Assim, apenas vender e atender bem não basta. Além do investimento em comodidade e infraestrutura do ecommerce durante o processo de compra, é preciso despertar sentimentos positivos no consumidor em todas as etapas da jornada. Inclusive (e, talvez, principalmente) após o checkout. Nesse sentido, uma tendência cada vez mais presente em diferentes segmentos, é dar ao consumidor a sensação de estar ganhando mais do que o produto com aquela transação, oferecendo, por exemplo, opções de cross selling, com valor agregado em serviços. 

No pós-compra, mesmo com o uso dos chatbots – tendência, também, em ascensão – é fundamental oferecer um relacionamento humanizado e pessoal. Acelerar a digitalização dos seus processos de atendimento não faz sentido se a relação com o cliente se tornar – ou mesmo parecer – mais distante do que era antes. O desafio é automatizar processos e, ao mesmo tempo, tornar-se um parceiro estratégico a nível de negócio. Mergulhe em seus objetivos e necessidades e mostre ao seu cliente o quanto você está apto para guiá-lo em processos de tomada de decisão.

Personalização

Há tempos a personalização deixou de ser sobre criar uma estética customizada para o seu ecommerce. No cenário de alta concorrência, a personalização significa que você deve apresentar uma oferta especial com um conteúdo segmentado, criando uma experiência única de usabilidade e oferta para o cliente. Aposente o padrão mensagem-em-massa/campo-variável e utilize, para valer, o histórico de relacionamento com o cliente de seu CRM, combinando uma mentalidade data driven com soluções de analytics para identificar padrões, gerar insights e ações valiosas. 

A automatização dos processos de personalização pode incluir estratégias que vão desde um ranking de mais vendidos e vitrines na home do site visando cross e up selling até opções de pick up in store exclusiva para os clientes mais sensíveis ao custo do frete, por exemplo. Nesse sentido, testes A/B são grandes aliados para identificar padrões de comportamento em relação a todas as funcionalidades de sua loja online: páginas de categoria, descrições de produtos, botões, Call To Actions ou headers. A gigante sul-coreana Samsung tem utilizado os motores de customização do VTEX IO para entregar experiências personalizadas para os diferentes mercados em que atua na América Latina. 

A oferta customizada deve percorrer todos os seus canais de comunicação com o cliente, como email marketing e anúncios de mídia paga. Hoje, é preciso identificar não só as categorias que o usuário visitou no seu site, mas também cada interação desse cliente em uma rede social de um concorrente, por exemplo. A estratégia de personalização não pode deixar de fora, é claro, a flexibilidade nas opções de pagamento. Esse aspecto é fundamental no cenário brasileiro, que evolui continuamente com alternativas como o Pix ou o split de pagamento de um pedido em dois cartões de crédito, por exemplo. 

Live Commerce

Devido ao cenário da pandemia em 2020, o Live Commerce estourou inovando as vendas online ao simular o atendimento do varejo físico no digital. Utilizando principalmente as redes sociais como Youtube, Facebook, Instagram e até o WhatsApp, a estratégia tangibiliza os produtos para muito além de fotos e vídeos, com storytelling aplicado a uma experiência digital ao vivo. Intermediada por influenciadores ou vendedores especialmente treinados que experimentam produtos em tempo real e interagem com o público, o Live Commerce torna a venda digital mais humanizada. Existe, ainda, a possibilidade de o pagamento já ficar diretamente integrado à live, estimulando a compra e aumentando as conversões.  

Essa estratégia de vendas baseada em interação e entretenimento tem sido testada por grandes varejistas no Brasil, sobretudo nos segmentos de moda e cosméticos. O método pode ser explorado para conquistar novos clientes divulgando o lançamento de produtos ou promovendo ações com influenciadores digitais. Existe, também, a possibilidade de fidelizar antigos consumidores ao gerar maior confiança e autoridade no segmento demonstrando a qualidade e as vantagens do produto ao vivo. 

Ecommerce Cross Border

Em 2020, o fechamento de fronteiras e o isolamento social impostos pela pandemia, restringiram o deslocamento de pessoas entre cidades e países, afetando sensivelmente o setor de turismo e entretenimento. Esse impacto também foi sentido nos hábitos de consumidores acostumados a viajar internacionalmente para comprar produtos estrangeiros a preços mais acessíveis. 

Nesse contexto, o ecommerce cross border ganhou tração por conectar consumidores isolados em suas residências a seus artigos de desejo ou novidades, viabilizando que empresas internacionais vendessem produtos em outros países. Com a demanda em alta e plataformas que possibilitam a conversão remota e internacional, o investimento passa a ser em contornar os obstáculos logísticos e cambiais para entregar o produto importado a um prazo e preço cada vez mais acessíveis ao consumidor.

Inteligência Artificial

Cada vez mais a tecnologia capaz de processar alta densidade de dados e, ainda, aprender com eles de forma autônoma e acelerada, a Inteligência Artificial, é incorporada ao mercado de ecommerce. O mecanismo tem sido utilizado para identificar o perfil do consumidor, impactando em uma série de melhorias na experiência de compra, como as vitrines de recomendação autônomas, o nível de atendimento dos chatbots e os resultados de busca interna por produtos na loja virtual. 

Apesar de nem todos os sistemas de recomendação de produtos terem base na Inteligência Artificial, as mais sofisticadas vitrines autônomas utilizam o mecanismo para garantir que visualizações personalizadas para cada consumidor sejam montadas e exibidas de modo automático, sem a necessidade de configurações manuais. O sistema analisa em tempo real o comportamento dos usuários dentro da loja virtual e, com isso, consegue identificar qual a melhor posição para cada vitrine e quais os produtos com maiores chances de compra para cada usuário. 

A tecnologia também eleva a experiência de pesquisa por marcas específicas ou produtos no ecommerce. A busca comportamental utiliza a Inteligência Artificial para identificar os comportamentos do usuário, como, por exemplo, produtos que ele já pesquisou anteriormente para exibir resultados personalizados quando esse usuário retornar ao ecommerce. A busca por voz ou por imagem também utiliza o mecanismo de Inteligência Artificial, permitindo que o usuário possa enviar uma imagem ou áudio identificando o produto que está procurando e, assim, encontrá-lo no catálogo do ecommerce. 

Voice Commerce

Como abordamos no tópico acima, o uso da voz é um dos grandes potenciais a ser explorado no ecommerce e mais uma tendência em ascensão no mercado. O conceito de Voice Commerce não se restringe ao uso da voz para pesquisar produtos dentro de uma loja virtual, mas para guiar todo o processo de compra – da busca à conversão. O Voice Commerce mescla o uso da interface interativa e de baixa fricção dos assistentes digitais como Siri, Google Assistant, Alexa e Cortana com as competências do design conversacional para conectar todos os elos das transações do ecommerce. 

Com a popularização de homekits e dos assistentes pessoais digitais, muitas das tarefas rotineiras já são executadas por meio do comando de voz. De solicitar um resumo das notícias do dia até a previsão do tempo da semana, a tendência é que os assistentes sejam cada vez mais incorporados, também, ao comportamento de consumo. No caso das compras rotineiras e recorrentes como itens de supermercado, farmácia e pet shops o potencial é ainda maior. No Brasil, a tendência do uso da voz no digital se comprova com os volumes de áudios em ferramentas como o WhatsApp, por exemplo. De acordo com pesquisa da Opinion Box, de abril, cerca de 81% dos brasileiros afirmam utilizar mensagens de áudio pelo aplicativo. 

Logística

Por muito tempo a operação logística foi encarada apenas como mais um custo para os gestores de ecommerce. Contudo, essa realidade tende a se transformar na medida em que a operação de entrega se torna um trunfo comercial e uma poderosa estratégia de Marketing. A experiência de compra não termina no checkout do seu ecommerce, mas sim quando o produto chega na casa do consumidor, que tem cada vez mais expectativas com relação a qualidade e agilidade desta entrega. 

Hoje, o cliente espera receber a compra no momento em que estiver em casa e lhe for conveniente, além da possibilidade de acompanhar em detalhes cada etapa da entrega. Recursos de operação last mile com mensagens genéricas e prazos de entrega imprecisos estão ficando para trás e abrindo espaço para o uso da logística como instrumento de geração de valor e fortalecimento de marca. A onda de varejistas e até de marketplaces adquirindo transportadoras ou investindo em frota própria comprova esse movimento. 

Portanto, é necessário oferecer sempre mais de uma modalidade de entrega com velocidade e agilidade. O sistema de rastreamento da entrega precisa oferecer visibilidade em tempo real sobre a operação de last mile. A comunicação com o cliente – mesmo que por chatbots – deve ser acessível e personalizada em todas as etapas do processo. A Rede Supernosso tem uma história de sucesso que ilustra como a logística pode deixar de ser um custo para se tornar uma estratégia de negócio. 

Continue lendo: artigos relacionados
Estratégia

Black Friday: As estatísticas mostram o que esperar do evento em 2021

Uma constatação animadora, porém preocupante para as pessoas envolvidas no comércio é que a Black Friday está bem…

Andreea Pop
Andreea Pop
Estratégia

As principais tendências de ecommerce que você deve considerar para a Black Friday 2021

À medida que a Black Friday e a Cyber Monday se aproximam, os varejistas precisam se preparar para…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Estratégia

Histórico de casos de sucesso: Clientes da VTEX durante a Black Friday

Se você tem uma operação de comércio, a Black Friday certamente é o momento mais importante do ano…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Estratégia

5 lições de omnichannel para empresas de moda

Atualmente, a maioria dos compradores são clientes omnichannel, seja no mercado da moda ou em outro setor. O…

Juliana Sánchez
Juliana Sánchez
Estratégia

Como criar um MVP para marketplaces visando velocidade e escalabilidade

Um dos objetivos de grandes iniciativas digitais é garantir rapidamente o retorno sobre o investimento na forma de…

George Chang
George Chang
Estratégia

Saiba como foi o VTEX Training Week 2021

O evento de capacitação da VTEX ocorreu de 4 a 8 de outubro e reuniu dezenas de experts…

Elias Moura
Elias Moura
Estratégia

O que os clientes estão esperando para a Black Friday 2021?

A pandemia de COVID-19 aumentou substancialmente o crescimento do comércio digital. O que também mudou com a crise…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Estratégia

Como a Unilever encara os desafios do mercado B2B

O mercado B2B passa, no Brasil e no mundo, por um intenso e acelerado processo de transformação, com…

Elias Moura
Elias Moura
Estratégia

Conheça o ecossistema de parceiros da VTEX e como ele possibilita o crescimento global do ecommerce

Já são mais de 20 anos no mercado, milhares de lojas implementadas e um futuro desafiador à frente.…

Bruno Valetta
Bruno Valetta
Veja Mais
Registro feito com sucesso