Culture

Mês do orgulho: Uma celebração da nossa luta por um espaço seguro – Parte 2

Bárbara Lobianco
Bárbara Lobianco June 9, 2021
Mês do orgulho: Uma celebração da nossa luta por um espaço seguro – Parte 2

Reconhecendo um espaço seguro

Chegar em um lugar novo, seja sozinho ou com o seu parceiro, e tentar identificar sinais de que se é bem-vindo não é normal. Observar gestos, palavras e olhares por medo não é normal. Ter um receio inicial de todo e qualquer estranho não é normal, mas é normalizado.

É cansativo viver a vida na defensiva, sempre medindo o quanto você se permite ser você mesmo, seja por medo ou vergonha da reação que vai receber. Essa postura afeta não só o bem-estar emocional como reflete no bem-estar físico.

Demonstrar o seu apoio não é difícil, mas precisa ir além do superficial. Não apenas coloque uma bandeira de arco-íris na sua mesa ou um adesivo no seu carro. Assista filmes sobre temáticas LGBTQIA+. Busque se informar. Veja palestras. Compre com quem faz parte da comunidade. Doe para serviços de saúde física e mental da população LGBTQIA+, fundos legais, abrigos, projetos esportivos e organizações como o The Trevor Project. Mais do que tudo, seja um bom aliado para quem você conhece.

Um espaço seguro, segundo o dicionário de Oxford, é “um ambiente onde uma pessoa ou grupo de pessoas se sentem confortáveis sabendo que não serão expostas a discriminação, críticas, assédio ou qualquer outro dano físico ou emocional.”

Não é a descrição de uma utopia, sinopse de um livro de ficção científica, ou cenário de filme de fantasia (apesar de parecer tão longe quanto, dependendo do caso). É direito humano de ser quem se é e obter respeito. Direito este descrito e desenvolvido nos 8 primeiros artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU.

O espaço seguro é lugar de diálogo, mas de ouvir também. Todos têm a chance de se manifestar. Ninguém é obrigado a qualquer coisa. Todos os envolvidos no debate são aliados e estão ali para entender, apoiar e construir um futuro diferente, de liberdade e inclusão.

A comunidade LGBTQI+ é alvo constante de descriminação, preconceito, assédio e, muitas vezes, despejo — produto de famílias que não aceitam seus integrantes. Seus lares, seus espaços mais seguros, são roubados — junto à sua saúde mental, e consequentemente física. É preciso fornecer-lhes este apoio e esta segurança dentro da sociedade.

Esses indivíduos precisam encontrar pessoas com quem se identificam, que passaram e estão passando pelas mesmas situações. Uma rede de apoio. Forjar a segurança nas semelhanças. Criar uma escuta ativa, um diálogo. Promover um espaço onde podem ser eles mesmos por completo.

É sobre ter um lugar pra respirar fundo, relaxar a tensão, estar vulnerável e ter a oportunidade e a coragem para se abrir. Falar o que incomoda, o que faz sorrir. E encontrar nas experiências dos outros novas maneiras de diálogo.

Dentro das empresas, por exemplo, esse espaço seguro é um ambiente onde a comunidade pode conversar e debater, como um grupo que se encontra com frequência para entender o que pode ser melhorado dentro do ambiente de trabalho.

É necessário também oferecer os mesmos direitos, cargos e benefícios, além de garantir que o ambiente não permite qualquer tipo de discriminação, e que se esforça para selecionar e entrevistar pessoas dessa comunidade e outras minorias.

Além disso, é necessário usar termos e pronomes adequados a cada um, e promover o acesso à informação e educação sobre o assunto, atravpes de livros, palestras, vídeos e outros recursos.

Seja você gay, lésbica, bi, trans, panssexual, não-binário, queer, indefinido, intersexual, asexual, ou apenas um aliado: o orgulho é de todo mundo que luta pelos direitos da comunidade LGBTQIA+, que busca tornar todos os espaços seguros, e todo mês uma celebração de ser você mesmo.

Continue lendo: artigos relacionados
Culture

Quebrando barreiras para ser quem se é

Paulo e Raony contam um pouco de suas trajetórias de identificação e como enxergam um futuro diverso e…

VTEX
VTEX
Culture

Como a VTEX me ajudou a superar novos desafios, evoluir profissionalmente e ficar mais perto do mar

A Product Manager Alice Sabino conta como trabalhar no escritório de João Pessoa da VTEX, na Paraíba, permitiu…

Alice Sabino
Alice Sabino
Culture

A importância de referências LGBTQIA+ no ambiente de trabalho

Se você tivesse que listar cinco séries ou filmes com personagens que se identificam como LGBTQIA+, o que…

Bárbara Lobianco
Bárbara Lobianco
Culture

BEYOND PREDICTABLE #07 – Construindo um futuro diverso e inclusivo

O compromisso com algo maior que nós mesmos tem sido um pilar da conduta da VTEX desde o…

VTEX
VTEX
Culture

Mês do orgulho: Uma celebração da nossa luta por um espaço seguro – Parte 1

O debate pelos direitos iguais e a celebração de ser quem se é Junho é época de celebração…

Bárbara Lobianco
Bárbara Lobianco
Culture

Como estamos tornando a VTEX diversa e inclusiva

De uma provocação no Slack a membro do Comitê. Conheça a jornada do engenheiro de software que está…

Paulo Soares
Paulo Soares
Culture

Como uma estagiária da VTEX dobrou a receita de um grande varejista

Como membro da VTEX, temos alguns objetivos: um é garantir o sucesso de nossos clientes, e outro é…

Lucila Thompson
Lucila Thompson
Culture

Beyond Predictable #5 – Mude sua perspectiva para mudar seu futuro

O ecommerce se expandiu para novas fronteiras nos últimos anos. A velocidade desse processo aumentou ainda mais recentemente,…

VTEX
VTEX
Culture

Um farol de tecnologia no Nordeste

Cheguei na VTEX há 3 anos e me deparei com a onda de expansão global que estava acontecendo…

Bruno Dias
Bruno Dias
Veja Mais
Registro feito com sucesso