Operações

A transformação digital chegou aos supermercados

VTEX
VTEX June 25, 2020
A transformação digital chegou aos supermercados

O setor de supermercados foi profundamente impactado pela pandemia. Saiba como ter uma operação online que impulsione suas vendas

O setor de supermercados vem passando por um momento de intensas transformações. Por mais que as lojas permanecessem abertas durante o período de isolamento social, boa parte dos consumidores passou a buscar alternativas digitais. Assim, ao mesmo tempo em que as lojas precisaram lidar com a alta na demanda no varejo físico e evitar rupturas, foi preciso digitalizar as operações para acompanhar as mudanças de comportamento dos clientes.

Até agora, o setor de supermercados era um dos menos digitalizados do País. De acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), das 136 maiores redes do setor em 2019, somente 24 possuíam alguma operação online. Um cenário que mudou muito em questão de semanas: o coronavírus acelerou a transformação digital do varejo alimentar. “Os supermercados estão sendo muito importantes nesta crise, ajudando toda a sociedade e mantendo a cadeia de distribuição ativa”, comenta Frederico Heitmann, CEO da ACCT.

Em parceria com a ACCT, a VTEX promoveu um webinar para discutir a transformação digital dos supermercados. A crise do coronavírus mudou o comportamento dos consumidores, acelerou a digitalização do setor e abriu novas oportunidades de venda e relacionamento com os clientes.

Confira os principais pontos do webinar:

Um e-commerce todo especial

Os supermercados online têm uma realidade diferente do e-commerce em geral: é um segmento em que o tíquete médio é mais elevado e o carrinho possui dezenas de itens. “A experiência de compra de supermercados no online é bem diferente de outros segmentos e, por isso, a operação de e-commerce precisa contar com recursos que, para outros mercados, nem sempre chamam a atenção, como listas de compras, a adição de itens ao carrinho diretamente da busca e a possibilidade de repetir a compra anterior com um clique”, avalia Patrick Scripilitti, Diretor Comercial da VTEX.

Com o Covid-19, entregar uma boa experiência para o cliente se tornou ainda mais importante. “As compras ficaram mais concentradas, mas nem por isso o consumidor abriu mão da agilidade e da facilidade de compra. As empresas precisaram se estruturar em tempo recorde para dar conta da nova demanda”, afirma Heitmann.

Como se já não bastasse o desafio de incorporar um novo canal de vendas, com características bem próprias, os supermercados também precisaram lidar com a mudança na demanda. “Farinha foi um dos primeiros itens a ter quebra nas lojas. As pessoas redescobriram a cozinha como prazer e voltaram a pedir itens que não eram recorrentes. Especialmente nos primeiros dias, muitos varejistas tiveram dificuldade em atender à demanda de entrega”, comenta o CEO da ACCT.

Um novo modelo de negócios

As mudanças trazidas pelo isolamento social mudaram a função das lojas físicas. Para boa parte da população, o ato de ir à loja, fazer a compra, passar pelo checkout e levar a compra para casa passou a ser considerado arriscado. Aumentou o uso do delivery, de aplicativos para compra e também do drive thru. “São modelos que resolvem o problema de segurança e trazem ainda ganho de tempo na compra”, analisa Heitmann. Se por um lado a gôndola da loja deixa de ter a função de apresentar os produtos para boa parte dos clientes, o ponto de venda passa a ser um hub de distribuição de produtos. “O conceito do que é um supermercado mudou nesta crise”, acredita o executivo.

Para ele, agora o varejo está em um momento de amadurecimento de comportamentos, tanto dos consumidores quanto dos fornecedores e das equipes de loja. “É hora de amadurecer a operação online para atender o cliente e melhorar seus resultados”, afirma.

Como impulsionar sua operação online de supermercados

Na transformação digital dos supermercados, é preciso estar atento a uma série de aspectos da operação. Da logística à estratégia, o e-commerce precisa estar estruturado para oferecer eficiência, comodidade e segurança aos clientes.

1)      Logística

No que se refere à distribuição dos produtos, o supermercadista que deseja impulsionar sua operação online precisa estar atento a uma série de aspectos:

·         Reserva de horário: é importante que o usuário possa reservar o horário de retirada na loja, drive thru ou recebimento dos produtos em casa. “A operação de supermercados é muito sensível a prazo e, portanto, é preciso oferecer conveniência e entregar no período combinado”, explica Heitmann.

·         Seja claro sobre as condições do serviço: informe claramente ao cliente sobre aspectos como o número máximo de itens permitidos na compra, a região de entrega do pedido, os custos da entrega, condições de pagamento e outros itens que possam causar dúvidas ou até mesmo impedir a concretização do pedido. A compra online é uma relação de confiança e, por isso, é preciso apresentar claramente qualquer condição que possa interferir na transação.

·         Ofereça métodos de entrega sem contato físico: meios como o drive thru, em que um funcionário da loja coloca os produtos no porta-malas do carro do cliente, reduzem a possibilidade de contato físico e aumentam a segurança sanitária. Neste momento, esse tipo de opção se torna mais importante para o cliente.

2)      Catálogo

Um dos aspectos delicados da compra online de supermercados é a substituição de produtos: a possibilidade de falta de produtos é uma constante e é preciso oferecer opções para o cliente. “É preciso oferecer opções de substituição de produtos quando o estoque estiver baixo”, comenta Heitmann.

Leve em conta uma série de aspectos na gestão do catálogo do seu e-commerce de supermercados:

·         Utilizar o estoque da loja física exige conhecer os dados de demanda online e offline, para que a ruptura seja minimizada;

·     Defina um nível mínimo de estoque para o online, para que não haja desabastecimento na loja física;

·         Especialmente em itens com demanda sazonal forte (como papel higiênico no início da pandemia), aplique e apresente limites de quantidade na página do produto;

·         Itens sem estoque devem ser indicados como “não disponível” na página, em vez de retirados do site. Dessa forma, a loja indica ao cliente que a indisponibilidade é temporária.

3)      Atendimento ao cliente

O pós-venda é um diferencial para a recorrência do cliente. Oferecer diversos canais de atendimento, como chat, WhatsApp, telefone e e-mail, gera mais segurança na compra. Esteja atento a aspectos como:

·     Não robotize a relação com o cliente: cada consumidor tem características únicas. Dê ao cliente a opção de escolher em que canal quer ser contatado e esteja disponível para atendê-lo de diversas formas;

·         Integre as informações dos vários canais de atendimento, para que você tenha uma visão única dos clientes e possa gerar mais insights sobre o comportamento e as demandas do público;

·         Esteja atento à recorrência: compras de supermercado estão entre as de menor periodicidade do varejo. Normalmente, toda semana é preciso reabastecer a geladeira. Utilize isso a seu favor. “Se o cliente não compra com você há mais tempo, já está na hora de estimular uma nova compra”, afirma Heitmann.

4)      Estratégia

O e-commerce não deve estar desassociado da loja física. Demanda, estoque e relacionamento com o cliente podem ser mais bem trabalhados com uma visão unificada. Por isso:

·         Utilize tecnologia para prever demanda: use Inteligência Artificial e sistemas de análise preditiva para realizar a projeção da demanda e, com isso, otimizar seus estoques;

·     Desenvolva uma central estratégica: entenda, de forma centralizada, a performance de todos os canais e pontos de atendimento ao cliente. Isso oferecerá uma visão global da sua relação com os clientes e aumentará as sinergias entre online e offline;

·         Proteja clientes e colaboradores: especialmente até que seja encontrada uma vacina para o coronavírus, a segurança sanitária é um aspecto prioritário. Mostre que você se preocupa com a saúde de clientes e funcionários, desenvolvendo protocolos de atendimento, segurança e limpeza constante dos equipamentos da loja. Privilegie operações que reduzam o contato humano, seja no picking dos pedidos, no pagamento ou na entrega;

·          Repense o ecossistema: seu modelo de negócios deve contemplar as inúmeras possibilidades de atendimento ao cliente. Além do e-commerce tradicional e da loja física, esteja presente em marketplaces e em aplicativos de entrega. Integre os dados dessas operações para ter uma visão mais completa sobre seu negócio.

Em tempos de avalanche de informações, misturada a um cenário e contexto inéditos, a VTEX elaborou uma série de conteúdos didáticos e direcionados para ajudar você a navegar em meio ao atual momento do mercado. A série VTEX Masterclass terá mais de 30 webinars ao longo do ano, para que você possa obter, em primeira mão, insights e conteúdos relevantes para direcionar o seu negócio rumo à era digital.

Embarque nessa jornada definitiva rumo à transformação digital.

Keep Reading: Related Stories
Estratégia

Da moda para o mercado: Como a Miniprix se reinventou em apenas uma semana

Em tempos de coronavírus, a moda deu um passo atrás, e os varejistas do setor foram afetados. A…

Andreea Pop
Andreea Pop
Operações

Como fazer cross sell e upsell no e-commerce

Webinar da série VTEX Masterclass mostra como utilizar as técnicas de cross sell e upsell para impulsionar as…

VTEX
VTEX
Operações

Reentrega de mercadoria: minimize essa prática em seu e-commerce

Os custos com uma reentrega de mercadoria são altíssimos. Quando um cliente não é localizado ou por algum…

Luiz Samico
Luiz Samico
Operações

Frota própria e terceirizada: entenda as diferenças e qual a ideal para o seu e-commerce

A gestão de entregas é um processo com diversas etapas. Do momento em que o cliente realiza a…

Luiz Samico
Luiz Samico
Estratégia

Marca europeia de moda tem crescimento anual de 55% com a VTEX

No início de 2018, a marca de moda europeia Lion of Porches escolheu a VTEX Commerce Cloud como…

Allan Chung
Allan Chung
Estratégia

Resposta rápida em tempos de crise: a história de sucesso da Calimax

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia de Covid-19, em março de 2020, parece…

Roney Almeida
Roney Almeida
Estratégia

Como a varejista de moda Iorane fez uma migração de plataforma bem-sucedida em cinco dias

A marca de moda brasileira Iorane nasceu há mais de 20 anos como uma empresa familiar atacadista que…

Bernardo Lemgruber
Bernardo Lemgruber
Estratégia

Como acelerar a transformação digital do varejo para as farmácias

Está previsto que em 2022 o Brasil terá a quinta maior indústria farmacêutica do mundo, atrás apenas de…

Jade Maravillas
Jade Maravillas
Estratégia

Como fazer um go-live em quatro passos e apenas 10 dias

As pessoas estão lutando para se adaptar à realidade que surgiu com o novo coronavírus. Suas necessidades mudaram,…

Roney Almeida
Roney Almeida
Veja Mais