Operações

A transformação digital chegou aos supermercados

Lorren Klinke
Lorren Klinke June 25, 2020
A transformação digital chegou aos supermercados

O setor de supermercados foi profundamente impactado pela pandemia. Saiba como ter uma operação online que impulsione suas vendas

O setor de supermercados vem passando por um momento de intensas transformações. Por mais que as lojas permanecessem abertas durante o período de isolamento social, boa parte dos consumidores passou a buscar alternativas digitais. Assim, ao mesmo tempo em que as lojas precisaram lidar com a alta na demanda no varejo físico e evitar rupturas, foi preciso digitalizar as operações para acompanhar as mudanças de comportamento dos clientes.

Até agora, o setor de supermercados era um dos menos digitalizados do País. De acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), das 136 maiores redes do setor em 2019, somente 24 possuíam alguma operação online. Um cenário que mudou muito em questão de semanas: o coronavírus acelerou a transformação digital do varejo alimentar. “Os supermercados estão sendo muito importantes nesta crise, ajudando toda a sociedade e mantendo a cadeia de distribuição ativa”, comenta Frederico Heitmann, CEO da ACCT.

Em parceria com a ACCT, a VTEX promoveu um webinar para discutir a transformação digital dos supermercados. A crise do coronavírus mudou o comportamento dos consumidores, acelerou a digitalização do setor e abriu novas oportunidades de venda e relacionamento com os clientes.

Confira os principais pontos do webinar:

Um e-commerce todo especial

Os supermercados online têm uma realidade diferente do e-commerce em geral: é um segmento em que o tíquete médio é mais elevado e o carrinho possui dezenas de itens. “A experiência de compra de supermercados no online é bem diferente de outros segmentos e, por isso, a operação de e-commerce precisa contar com recursos que, para outros mercados, nem sempre chamam a atenção, como listas de compras, a adição de itens ao carrinho diretamente da busca e a possibilidade de repetir a compra anterior com um clique”, avalia Patrick Scripilitti, Diretor Comercial da VTEX.

Com o Covid-19, entregar uma boa experiência para o cliente se tornou ainda mais importante. “As compras ficaram mais concentradas, mas nem por isso o consumidor abriu mão da agilidade e da facilidade de compra. As empresas precisaram se estruturar em tempo recorde para dar conta da nova demanda”, afirma Heitmann.

Como se já não bastasse o desafio de incorporar um novo canal de vendas, com características bem próprias, os supermercados também precisaram lidar com a mudança na demanda. “Farinha foi um dos primeiros itens a ter quebra nas lojas. As pessoas redescobriram a cozinha como prazer e voltaram a pedir itens que não eram recorrentes. Especialmente nos primeiros dias, muitos varejistas tiveram dificuldade em atender à demanda de entrega”, comenta o CEO da ACCT.

Um novo modelo de negócios

As mudanças trazidas pelo isolamento social mudaram a função das lojas físicas. Para boa parte da população, o ato de ir à loja, fazer a compra, passar pelo checkout e levar a compra para casa passou a ser considerado arriscado. Aumentou o uso do delivery, de aplicativos para compra e também do drive thru. “São modelos que resolvem o problema de segurança e trazem ainda ganho de tempo na compra”, analisa Heitmann. Se por um lado a gôndola da loja deixa de ter a função de apresentar os produtos para boa parte dos clientes, o ponto de venda passa a ser um hub de distribuição de produtos. “O conceito do que é um supermercado mudou nesta crise”, acredita o executivo.

Para ele, agora o varejo está em um momento de amadurecimento de comportamentos, tanto dos consumidores quanto dos fornecedores e das equipes de loja. “É hora de amadurecer a operação online para atender o cliente e melhorar seus resultados”, afirma.

Como impulsionar sua operação online de supermercados

Na transformação digital dos supermercados, é preciso estar atento a uma série de aspectos da operação. Da logística à estratégia, o e-commerce precisa estar estruturado para oferecer eficiência, comodidade e segurança aos clientes.

1)      Logística

No que se refere à distribuição dos produtos, o supermercadista que deseja impulsionar sua operação online precisa estar atento a uma série de aspectos:

·         Reserva de horário: é importante que o usuário possa reservar o horário de retirada na loja, drive thru ou recebimento dos produtos em casa. “A operação de supermercados é muito sensível a prazo e, portanto, é preciso oferecer conveniência e entregar no período combinado”, explica Heitmann.

·         Seja claro sobre as condições do serviço: informe claramente ao cliente sobre aspectos como o número máximo de itens permitidos na compra, a região de entrega do pedido, os custos da entrega, condições de pagamento e outros itens que possam causar dúvidas ou até mesmo impedir a concretização do pedido. A compra online é uma relação de confiança e, por isso, é preciso apresentar claramente qualquer condição que possa interferir na transação.

·         Ofereça métodos de entrega sem contato físico: meios como o drive thru, em que um funcionário da loja coloca os produtos no porta-malas do carro do cliente, reduzem a possibilidade de contato físico e aumentam a segurança sanitária. Neste momento, esse tipo de opção se torna mais importante para o cliente.

2)      Catálogo

Um dos aspectos delicados da compra online de supermercados é a substituição de produtos: a possibilidade de falta de produtos é uma constante e é preciso oferecer opções para o cliente. “É preciso oferecer opções de substituição de produtos quando o estoque estiver baixo”, comenta Heitmann.

Leve em conta uma série de aspectos na gestão do catálogo do seu e-commerce de supermercados:

·         Utilizar o estoque da loja física exige conhecer os dados de demanda online e offline, para que a ruptura seja minimizada;

·     Defina um nível mínimo de estoque para o online, para que não haja desabastecimento na loja física;

·         Especialmente em itens com demanda sazonal forte (como papel higiênico no início da pandemia), aplique e apresente limites de quantidade na página do produto;

·         Itens sem estoque devem ser indicados como “não disponível” na página, em vez de retirados do site. Dessa forma, a loja indica ao cliente que a indisponibilidade é temporária.

3)      Atendimento ao cliente

O pós-venda é um diferencial para a recorrência do cliente. Oferecer diversos canais de atendimento, como chat, WhatsApp, telefone e e-mail, gera mais segurança na compra. Esteja atento a aspectos como:

·     Não robotize a relação com o cliente: cada consumidor tem características únicas. Dê ao cliente a opção de escolher em que canal quer ser contatado e esteja disponível para atendê-lo de diversas formas;

·         Integre as informações dos vários canais de atendimento, para que você tenha uma visão única dos clientes e possa gerar mais insights sobre o comportamento e as demandas do público;

·         Esteja atento à recorrência: compras de supermercado estão entre as de menor periodicidade do varejo. Normalmente, toda semana é preciso reabastecer a geladeira. Utilize isso a seu favor. “Se o cliente não compra com você há mais tempo, já está na hora de estimular uma nova compra”, afirma Heitmann.

4)      Estratégia

O e-commerce não deve estar desassociado da loja física. Demanda, estoque e relacionamento com o cliente podem ser mais bem trabalhados com uma visão unificada. Por isso:

·         Utilize tecnologia para prever demanda: use Inteligência Artificial e sistemas de análise preditiva para realizar a projeção da demanda e, com isso, otimizar seus estoques;

·     Desenvolva uma central estratégica: entenda, de forma centralizada, a performance de todos os canais e pontos de atendimento ao cliente. Isso oferecerá uma visão global da sua relação com os clientes e aumentará as sinergias entre online e offline;

·         Proteja clientes e colaboradores: especialmente até que seja encontrada uma vacina para o coronavírus, a segurança sanitária é um aspecto prioritário. Mostre que você se preocupa com a saúde de clientes e funcionários, desenvolvendo protocolos de atendimento, segurança e limpeza constante dos equipamentos da loja. Privilegie operações que reduzam o contato humano, seja no picking dos pedidos, no pagamento ou na entrega;

·          Repense o ecossistema: seu modelo de negócios deve contemplar as inúmeras possibilidades de atendimento ao cliente. Além do e-commerce tradicional e da loja física, esteja presente em marketplaces e em aplicativos de entrega. Integre os dados dessas operações para ter uma visão mais completa sobre seu negócio.

Em tempos de avalanche de informações, misturada a um cenário e contexto inéditos, a VTEX elaborou uma série de conteúdos didáticos e direcionados para ajudar você a navegar em meio ao atual momento do mercado. A série VTEX Masterclass terá mais de 30 webinars ao longo do ano, para que você possa obter, em primeira mão, insights e conteúdos relevantes para direcionar o seu negócio rumo à era digital.

Embarque nessa jornada definitiva rumo à transformação digital.

Continue lendo: artigos relacionados
Operações

Quais são as principais funcionalidades de marketplace para se buscar?

Se há um aprendizado que os varejistas podem tirar de 2020 e 2021 é que o cenário do…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Histórias de Clientes

Swift e os desafios omnichannel no segmento de ultracongelados

A Swift é pioneira em criar processos de qualidade para o ultracongelamento de alimentos perecíveis e ainda estimula…

Elias Moura
Elias Moura
Operações

Por que DTC significa mais do que direct-to-consumer

Quando se trata de nomear o modelo de negócios direct-to-consumer, é comum usar dois acrônimos: DTC ou D2C.…

Júlia Miozzo
Júlia Miozzo
Estrategia

Acelerando os resultados da Black Friday com o Pix

O novo meio de pagamento que chegou para ficar  O Pix, novo meio de pagamento instantâneo, entrou em…

Luciano Santos
Luciano Santos
Black Friday

Sua estrutura logística está pronta para a Black Friday e outros grandes eventos?

À medida que o fim do ano se aproxima com eventos como Black Friday e Natal, e com…

Patrick Rocha
Patrick Rocha
Operações

Ecommerce para iniciantes: tudo o que você precisa saber

Hoje em dia, ter uma operação de ecommerce é uma necessidade para as grandes marcas e varejistas que…

Júlia Miozzo
Júlia Miozzo
Estratégia

Venda mais com a prateleira infinita

Se você é cliente muito provavelmente já passou pela situação de entrar na loja, se interessar pelo produto…

GoTotem
GoTotem
Gestão

Os desafios da tributação do ecommerce B2B

Quando as empresas se deparam com os desafios da tributação para comércio digital no Brasil, o primeiro obstáculo…

Elias Moura
Elias Moura
Estratégia

Marketplace de Programas de Fidelidade: uma solução para acelerar o giro de estoque

Nem sempre as apostas de um varejista são um sucesso. Muitas vezes, escolhas e cálculos errados geram estoque…

Ligia Garcia
Ligia Garcia
Veja Mais
Registro feito com sucesso