Estratégia

Pix: uma tendência crescente no ecommerce

Gustavo Valle
Gustavo Valle June 10, 2021
Pix: uma tendência crescente no ecommerce

Em 2020 o Banco Central anunciou que o Pix, uma ferramenta de transferência eletrônica instantânea chegaria ao mercado brasileiro. Apesar do longo caminho que ainda precisa ser percorrido, o Pix já demonstra ser uma realidade para milhões de brasileiros. Desde outubro do ano passado, a VTEX está à frente, trabalhando para oferecer o Pix como mais uma opção de pagamento para os varejistas, contando, nesse processo, com o apoio de diversos parceiros para que o novo método de pagamento  estivesse disponível desde o primeiro dia de operação. E para entender as facilidades que o pagamento instantâneo trouxe para o varejo on-line, é importante conhecer um pouco da trajetória no mercado, de forma geral. 

O Pix é um novo método de pagamento instantâneo do Banco Central (Bacen), que foi implementado em novembro de 2020 em todo território brasileiro. Diferentemente do TED, DOC e boletos bancários, o Pix está disponível sete dias por semana, 24h por dia, de forma on-line e instantânea, no qual a transação pode ocorrer em até 10 segundos. 

Segundo dados do Banco Central, pouco mais de seis meses depois do lançamento oficial (no dia 16 de maio o Pix completou 6 meses), já são mais de 230 milhões de chaves do Pix cadastradas entre pessoas físicas e pessoas jurídicas. O número de usuários do Pix também é relevante, chegando a 82 milhões de pessoas no início do mês de maio, evidenciando que quase 40% da população brasileira já aderiu ao Pix. 

De acordo com reportagem da Exame, se for considerada apenas a população adulta do Brasil, que é responsável por 97% das operações do Pix, o número de usuários já ultrapassa 50% da população. 

Desse total, 53,2 milhões de pessoas físicas e 3,3 milhões de empresas. Sem dúvidas, esse processo de digitalização dos meios de pagamento foi acelerado em decorrência da pandemia do novo Coronavírus. De acordo com a Mastercard, 75% dos consumidores aumentaram o uso de pagamentos digitais devido ao distanciamento social e 61% testaram um novo meio de pagamento durante os meses de pandemia em 2020.

O que o perfil dos usuários nos ensina?

Entre outubro de 2020 e janeiro de 2021, considerando a fase de testes do Pix nos gráficos com data anterior à do lançamento, em 16 de novembro de 2020, foi realizada uma pesquisa pela Data Nubank que traçou o perfil dos clientes do banco que utilizaram o Pix nesse período: 

20,2% dos usuários do Nubank com idade entre 18 e 30 anos versus 2,7% entre os 80+. A penetração do Pix diminui na medida em que a idade aumenta, ou seja, proporcionalmente, o Pix é mais popular entre os mais jovens. 

19,1% dos clientes Nubank possuem renda declarada entre R$5 mil e R$10 mil. A menor penetração é entre os que têm receita superior a R$10 mil – pouco mais de 5% do total. O QR Code é usado, em sua maioria, por lojistas.

Plataformas de ecommerce VTEX: O que mudou com o Pix? 

O Pix trouxe rapidez, democratização e redução de custos para o mercado, com uma solução que não só é mais barata, mas também mais acessível e fácil de usar. No e-commerce, o Pix representa uma verdadeira evolução do mercado financeiro brasileiro. 

A primeira grande mudança é que através do pagamento instantâneo, o tempo de entrega do produto é reduzido. A transação é feita em poucos segundos e o processo de envio já pode ser iniciado pelo estabelecimento. Diferente do boleto, por exemplo, que pode demorar dias para ser aprovado. 

Seguindo a linha de melhoria de eficiência do lojista com o Pix, ele traz a vantagem de reduzir o tempo em que o estoque fica “segurado” enquanto aguarda a aprovação da compra ou o pagamento do boleto, que pode levar dias.

Segundo dados da VTEX, das transações de Pix que ocorreram esse ano, entre os meses de janeiro  e abril, 92% tiveram a aprovação ocorrendo em até 5 minutos.  

Outro ponto importante é que através do Pix as taxas de abandono nas vendas diminuem. Muitos usuários geram o boleto mas não efetuam a compra, afetando as reservas no estoque da loja. Os consumidores que utilizam o Pix não precisam se programar para fazer seus pagamentos em horários específicos. De acordo com a pesquisa realizada pela Data Nubank, publicada em março de 2021, cerca de 38% das transferências via Pix são feitas fora do horário comercial, a partir das 17 horas. Isso demonstra que existe demanda por parte dos consumidores em realizar transferências nesses horários, mas que, antes do Pix, eles ficavam restritos a outros métodos de pagamento que impossibilitavam essas transações.

O pagamento via Pix também gera mais acessibilidade para os consumidores e custos mais baixos para as empresas.

Parceiros da VTEX

Atualmente, existem sete parceiros da VTEX que oferecem o Pix como meio de pagamento: Aarin, Adyen, IUGU, Mercado Pago, Pagar.me, PayMee, Fiserv e Spin Pay. Os parceiros podem iniciar suas integrações via Payment Provider Protocol, uma alternativa mais democrática, vantajosa e segura para os usuários. Para oferecer soluções aos clientes VTEX, é necessário fazer parte do Programa de Parcerias da VTEX.

Se você é cliente VTEX, mas ainda não integrou o PIX em sua loja. Siga os passos deste tutorial e entre em contato com a instituição que faz a mediação dos pagamentos em seu ecommerce e faça a sua solicitação.  Vale a pena investir em mais praticidade e rapidez. Com certeza, os clientes também aprovam essa excelente integração que a VTEX oferece. 

Continue lendo: artigos relacionados
Estratégia

7 passos simples para garantir uma boa usabilidade de uma loja online

Você conhece a importância da usabilidade de uma loja online? Para destacar a sua loja online dos demais…

ESHOPPER
ESHOPPER
Estratégia

Uma linha do tempo para a implementação do conversational commerce

Os novos hábitos de compra dos consumidores, o boom do comércio social e a tendência voltada para a…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Estratégia

Como otimizar o checkout e aumentar a conversão em sua loja online

As vendas no ecommerce vem experienciando um crescimento considerável nos últimos anos. Segundo a Ebit/Nielsen o Brasil bateu…

Caroline Dias
Caroline Dias
Estratégia

9 principais diferenças entre o ecommerce B2C e B2B

Você já se perguntou como cada modelo de negócio requer uma arquitetura e um conjunto de funcionalidades diferentes?…

Iris Irikura
Iris Irikura
Estratégia

Como crescer a sua estratégia omnichannel com live shopping

Se existe algo que é uma constante no mundo digital e no mundo do ecommerce é a inovação…

Taissa Araujo
Taissa Araujo
Estratégia

Aumente o faturamento da sua loja virtual com entregas cada vez mais rápidas

Descubra como as estratégias logísticas usando dark stores têm garantido entregas em tempo reduzidoe se tornado tendência no…

Rebeca Maffra
Rebeca Maffra
Estratégia

O que uma plataforma de comércio omnichannel pode oferecer aos varejistas?

Ninguém entra no varejo pensando “Vou vender este único produto a este preço e neste canal para sempre”.…

Cody Stapleton
Cody Stapleton
Estratégia

Como integrar o conversational commerce em sua operação omnichannel

Um dos paradigmas das marcas é estar disponível onde quer que os clientes estejam e ser capaz de…

Diana Mourão
Diana Mourão
Estratégia

Conversational commerce: a mais nova tendência digital que está fortalecendo as empresas B2C e B2B

Por trás de qualquer tipo de negócio, há um ser humano. Isso é um fato. Portanto, tanto faz…

Juliana Sánchez
Juliana Sánchez
Veja Mais
Registro feito com sucesso