PT | BR
Estratégia

10 coisas que você precisa entender antes de expandir para o comércio eletrônico

Rafael Campos
Rafael Campos December 13, 2016
10 coisas que você precisa entender antes de expandir para o comércio eletrônico

Nas duas últimas décadas, acompanhamos com espanto o crescimento do comércio eletrônico no Brasil, para o qual nem as crises nacionais ou mundiais chegaram a se tornar grandes percalços.

Apesar desse crescimento vertiginoso, o potencial das lojas físicas no país ainda é desproporcional em relação às lojas virtuais. A “Pesquisa anual do comércio”, publicada recentemente, nos informa que, no varejo, o e-commerce abocanha somente 2,2% de todo o faturamento, enquanto o comércio físico fica com 96% de participação.

Diante de números assim, a integração do comércio físico com o virtual surge como um tabu, de modo que empreendedores do setor – como se fossem um personagem de William Shakespeare – perguntam-se: “fazê-la ou não fazê-la? Eis a questão”.

Para ajudá-los nesta reflexão quase existencial, criei a lista “10 coisas que você precisa entender antes de expandir um negócio para o comércio online”. Confira.

Complementação e conveniência

Enquanto o comércio tradicional permite que o consumidor use os seus cinco sentidos para fazer compras, o que é bom, o comércio online possibilita que ele compre no conforto de sua casa via internet.

Vendas “full time”

Em uma loja física, só é possível vender produtos durante o horário comercial. Já uma loja virtual fica aberta 24 horas por dia, 7 dias por semana, 12 meses por ano, sem interrupções, o que representa mais possibilidades de comércio para o seu negócio como um todo.

Restrição e onipresença

Ter um bom ponto de comércio físico é um excelente meio de se começar um negócio. Porém, se a sua ideia é crescer em médio e longo prazo, é bom apostar no comércio eletrônico. Com uma loja virtual e um mobile site, você poderá continuar em seu ponto físico restrito e ao mesmo tempo se tornar onipresente ao chegar via desktop e dispositivos móveis onde quer que os seus consumidores estejam.

Mais público

No ano 2000, quando o comércio eletrônico nacional ainda estava engatinhando, só 2,9% da população usava a internet. Hoje, 51% da população brasileira usa a web, segundo estatísticas do Banco Mundial, o que representa um público de mais de 100 milhões de pessoas para o seu negócio.

Mais consumidores ativos

A Pesquisa WebShoppers 34, do e-Bit, mostra que 23,1 milhões de consumidores fizeram ao menos uma compra online no primeiro semestre de 2016. Esse número aumentou 31% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Credibilidade

Da mesma forma que uma loja física é favorecida com a integração de uma loja virtual, o contrário também ocorre. Em geral, as pessoas acham que os comércios virtuais que possuem um endereço ou ponto físico têm maior credibilidade. É um alívio para os compradores online saber que eles terão onde ir pessoalmente para reclamar caso um produto que compraram online venha com defeito ou se algum problema ocorrer durante o envio.

Big Data

Big Data pode ser traduzido como um veloz acúmulo de informações proveniente de transações comerciais físicas e online. Essas informações podem vir de estatísticas da loja virtual, de softwares ERP e WMS, sistemas de atendimento presencial, redes sociais etc. Ao reunir tais dados, você poderá saber mais sobre os seus consumidores e criar estratégias de vendas mais inteligentes tanto para as suas lojas virtuais quanto para as suas lojas físicas.

Posicionamento de mercado

A implementação de uma loja física dará ao seu negócio a possibilidade de obter maior posicionamento no mercado por meio da utilização de redes sociais, links patrocinados para e-commerce, estratégias de SEO etc., que permitem atingir públicos específicos com mais praticidade.

Vender para o exterior

Com um e-commerce, você poderá comercializar produtos fora do país com mais facilidade. Para isso, basta adaptar a loja virtual em relação ao idioma, adaptar a extensão do site ao código de domínio do país em questão para obter melhor indexação no Google, criar um bom conteúdo utilizando SEO e definir as estratégias de entrega e logística reversa.

Lado a lado com gigantes

Ao expandir um negócio para o comércio online surgem mil oportunidades, tais como a possibilidade de comercializar produtos em marketplaces juntamente com grandes players do varejo nacional, o que não seria tão fácil se o seu negócio fosse estritamente físico.

As oportunidades do comércio eletrônico são grandes, mas não se empolgue. Procure fazer um bom planejamento e siga todas as boas dicas para integrar o canal online e offline no seu e-commerce. Uma vez que tudo tenha sido planejado, aperte o play e acompanhe o Go Live de perto!

Continue lendo: artigos relacionados
Estratégia

O que é um marketplace: modelos in e out

O crescimento constante do comércio eletrônico resultou no surgimento de várias modalidades de vendas online. Talvez a mais…

Lalo Aguilar
Lalo Aguilar
Estratégia

Como o ecommerce e o marketplace andam de mãos dadas

Os marketplaces tornaram-se uma das tendências mais adotadas no espaço do ecommerce, e por bons motivos. As empresas…

Lalo Aguilar
Lalo Aguilar
Estratégia

Um guia para os diversos tipos de marketplaces

Os marketplaces (também conhecidos como e-marketplaces ou marketplaces online/digitais) são um modelo de negócio estabelecido na indústria do…

Andreea Pop
Andreea Pop
Estratégia

Líderes compartilham estratégias para obter suporte para a mudança de plataforma

A mudança de plataforma é muitas vezes vista pelas empresas como um “mal necessário” para sua operação de…

Lalo Aguilar
Lalo Aguilar
Estratégia

Os marketplaces de moda que estão levando a melhor no jogo do ecommerce

Os marketplaces, caracterizados por contar com múltiplos sellers terceirizados que vendem em um único ponto de contato e…

Andreea Pop
Andreea Pop
Estratégia

Time-to-market: O truque na manga para sua transformação digital

É evidente que o time-to-market (TTM) é extremamente significativo para qualquer transformação digital. Quanto menor ele for, mais…

Andreea Pop
Andreea Pop
Estratégia

As mais rápidas migrações de ecommerce

O time-to-market (ou time-to-revenue, como às vezes chamamos) é extremamente importante para qualquer projeto de transformação digital ou…

Andreea Pop
Andreea Pop
Estratégia

Migração de plataforma de ecommerce: superando a resistência à mudança

As empresas, assim como as pessoas, podem ser relutantes a mudanças. A proposta de superar a incerteza pode…

Lalo Aguilar
Lalo Aguilar
Estratégia

Estratégias fundamentais da equipe da VTEX em um projeto de migração de plataforma

Ao migrar sua plataforma de ecommerce para um fornecedor diferente, torna-se ainda mais importante compreender quais são as…

Gabriela Porto
Gabriela Porto
Veja Mais
Registro feito com sucesso