Produto

Pix e o impacto no ecommerce: do lançamento à Black Friday

Juliana Sales
Juliana Sales December 15, 2020
Pix e o impacto no ecommerce: do lançamento à Black Friday

O novo meio de pagamento instantâneo do Banco Central, o Pix, entrou em vigor dia 16 de novembro. Muitas foram as especulações sobre a aderência à nova modalidade de pagamento e sobre o real impacto que traria ao mercado.

A verdade é que os primeiros resultados são promissores.

Apesar do longo caminho que ainda precisa ser percorrido – tanto pelo comércio quanto pelos próprios consumidores – o Pix já apresenta fortes indicativos de que veio para ficar.

Quer conhecer os benefícios do Pix? Acesse nosso artigo sobre as cinco ineficiências operacionais que o Pix promete eliminar do ecommerce.

Continue neste artigo para ler sobre:

  • O impacto no mercado brasileiro
  • Números VTEX sobre o impacto no comércio digital
  • Resultados durante a Black Friday

O impacto do Pix no mercado brasileiro

12 milhões de transações e 9,3 bilhões de reais transacionados. Esse foi o resultado da primeira semana de operação do Pix, segundo dados do Banco Central.

No dia 03 de dezembro o número de transações pulou para 43 milhões, 37% acima do que a tendência de crescimento indicava na primeira semana.

Considerando que muitos varejistas/lojistas ainda estão no processo de adaptação e implementação do Pix, a tendência é que a curva de maturidade do novo meio de pagamento seja alcançada em 2021, quando o comércio aderir em peso à nova modalidade.

Em pesquisa encomendada pelo C6 Bank ao IBOPEdtm, 92% das pessoas atestaram conhecer o novo meio de pagamento. Ainda assim, um terço desses participantes respondeu que a decisão de usar a nova modalidade iria ocorrer à medida que obtivessem mais informações sobre o novo sistema.

Hoje, quase um mês após o lançamento do Pix, os resultados encorajam o comércio digital.

Números VTEX sobre o impacto no ecommerce

A maioria das transações efetuadas nos primeiros dias de operação do Pix foram entre pessoas físicas, segundo dados do Banco Central. Isso porque o comércio continua em processo de adaptação à nova modalidade.

A fim de analisar o impacto diretamente no ecommerce, fizemos um estudo com as transações de nossos mais de 200 clientes que já operam com o Pix.

Os dados consideram todas as transações via Pix registradas na plataforma VTEX entre os dias 16 de novembro (lançamento do Pix) e 06 de dezembro (pós Black Friday).

Valor das transações via Pix

Muitas foram as especulações sobre os volumes que seriam transacionados via Pix. Isso porque ele vem como uma modalidade de pagamento à vista, sem a possibilidade de parcelamento.

No período analisado, o ticket médio das compras via Pix na plataforma VTEX ficou em R$ 134,48.

Uma tendência é que o Pix desbanque o querido boleto em transações com ticket médio mais baixo, já que traz uma experiência muito mais amigável. A título de comparação, analisamos o ticket médio dos pagamentos via boleto durante o mesmo período e chegamos no valor de R$ 484,33.

Obviamente precisamos levar em consideração que o novo meio de pagamento foi lançado há apenas um mês. Dessa forma, a curva de aprendizado dos próximos meses deve levar a um aumento notório desse ticket médio.

Já os cartões de crédito, prometem continuar na mão e no coração dos brasileiros, considerando que oferecem condições diferenciadas de parcelamento.

Ainda, apesar de 56% de todas as transações terem sido entre R$ 100,00 e R$ 499,00, nossa plataforma também processou uma transação de R$ 15.386,00. Uma exceção, mas que ilustra como a modalidade está preparada para operar transações mais altas.

Transações por faixa de valor

Estendendo a análise do volume transacionado via Pix, vemos que 88,3% de todas as transações foram até R$ 499,99. Ao que tudo indica, o Pix chega principalmente como uma opção para setores que tem carrinhos com ticket médio mais baixo.

É importante lembrar, porém, que essa análise leva em consideração as três primeiras semanas de uso da nova modalidade. À medida que a maturidade em relação ao Pix aumentar, é possível que os valores transacionados também cresçam. 

Por se tratar de uma nova modalidade, é justo dizer que os consumidores ainda estão testando a nova experiência.

Tempo médio das transações

Uma das grandes vantagens do Pix é a liquidação imediata dos valores em conta. Os benefícios para o comércio são vários:

  1. Fluxo de caixa mais saudável, com o dinheiro entrando em conta instantaneamente.
  2. Diminuição de casos de sequestro de estoque, já que o produto é “segurado” apenas no período da transação. Caso a transação não seja efetuada, o produto volta para a vitrine
  3. Otimização dos processos de conciliação, já que o valor transacionado é liquidado imediatamente.
  4. Melhora no processo de logística, que pode garantir uma entrega agilizada.

Segundo dados VTEX, 97% de todas as transações via Pix foram aprovadas em até 5 minutos. 

É aqui que podemos estender a discussão sobre os diferenciais do Pix em relação ao boleto. No caso do segundo, além de demorar até dois ou três dias para ter o pagamento compensado, mais da metade dos boletos gerados nunca são pagos. Esse comportamento já conhecido ocasiona altos custos operacionais e sequestro de estoque, prejudicando toda a operação.

A tendência é acompanharmos uma diminuição gradual no uso do boleto; mas vale salientar que esse será um processo longo, de acordo com a curva de maturidade do Pix.

Pix na Black Friday

A Black Friday foi a primeira prova de fogo do Pix

A verdade é que muitos varejistas ainda não estavam preparados para aceitar o novo meio de pagamento já que sua data de lançamento ficou próxima do dia mais importante do varejo.

Mesmo assim, o número de transações entre os dias 25 e 29 representou 50% de todas as transações processadas via Pix no período analisado (16/11/2020 – 06/12/2020). Além disso, a sexta da Black Friday (27) registrou o maior número de transações do período.

Uma tendência importante que notamos na pós Black Friday foi que o número de transações e volume transacionado tiveram um crescimento considerável em relação à pré Black Friday.

Potencialmente, a data serviu como um importante marco de adoção da nova modalidade.

O futuro do novo meio de pagamento

A curva de aprendizado do Pix deve ser alcançada em 2021. É certo que o comércio ainda tem um longo caminho a percorrer, mas os primeiros números já encorajam.

Uma vez que os varejistas aderirem em massa à nova modalidade, oferecendo vantagens e condições especiais para os consumidores, o Pix deve ser cravado como o segundo meio de pagamento preferido dos brasileiros.

Agora é o momento de se preparar e oferecer melhores condições para os clientes.

Se você já usa a plataforma VTEX e quer usufruir de todas essas vantagens, acesse nossa página sobre o Pix e aprenda como configurar o Pix na sua loja VTEX.

Continue lendo: artigos relacionados
Produto

Explorando o VTEX Tracking – ferramenta para logística de entrega dos clientes VTEX

Não é nenhuma novidade que hoje vive-se na era da experiência. As empresas investem cada vez mais para…

Luiz Samico
Luiz Samico
Produto

VTEX Marketplace Network: conectando sellers e marketplaces de todo o mundo em um único ecossistema

O Marketplace Network é uma funcionalidade da plataforma da VTEX que ajuda a conectar marketplaces e sellers que…

Sorana Gheorghiade
Sorana Gheorghiade
Produto

Como foi participar da implementação do Pix na VTEX

Conheça o relato do engenheiro Ígor Brasileiro, que ajudou a implementar o Pix na VTEX, e quais foram…

Ígor Brasileiro
Ígor Brasileiro
Produto

Multilevel Omnichannel Inventory: criando uma estrutura multicanal eficaz

Diante de um consumidor digital cada vez mais ávido por rapidez, conveniência e por uma experiência sem atrito,…

Rafaela Rezende
Rafaela Rezende
Produto

UX para Ecommerce: Design focado em Vendas Conscientes

O texto a seguir foi adaptado da palestra que apresentei no evento Tech Women Summit dia 15 de…

Bianca Galvão
Bianca Galvão
Produto

Startup vs. unicórnio: como é trabalhar com produto em duas realidades diferentes

Estar à frente de uma pequena startup ou liderar um time em uma grande unicórnio? Gustavo, conta quais…

Gustavo Vedotti
Gustavo Vedotti
Produto

VTEX IO: descomplicando o desenvolvimento web

Entenda como o IO facilita o desenvolvimento, assegurando compatibilidade, uniformidade na documentação e simplificando integrações. Com a popularização…

Eric Breno
Eric Breno
Produto

VTEX Community: Promovendo a colaboração no ecossistema do comércio digital

Inspirados pela nossa declaração de futuro, na qual nos comprometemos a compartilhar conhecimentos valiosos que moldem o mercado,…

Cassiane Vilvert
Cassiane Vilvert
Produto

A construção de um produto de escala global nas perspectivas de Product Management e Product Marketing

Os papéis de Product Manager (PM) e Product Marketing Manager (PMM) são relativamente novos no mercado brasileiro, logo,…

VTEX
VTEX
Veja Mais
Registro feito com sucesso