Produto

Pix e o impacto no ecommerce: do lançamento à Black Friday

Juliana Sales
Juliana Sales December 15, 2020
Pix e o impacto no ecommerce: do lançamento à Black Friday

O novo meio de pagamento instantâneo do Banco Central, o Pix, entrou em vigor dia 16 de novembro. Muitas foram as especulações sobre a aderência à nova modalidade de pagamento e sobre o real impacto que traria ao mercado.

A verdade é que os primeiros resultados são promissores.

Apesar do longo caminho que ainda precisa ser percorrido – tanto pelo comércio quanto pelos próprios consumidores – o Pix já apresenta fortes indicativos de que veio para ficar.

Quer conhecer os benefícios do Pix? Acesse nosso artigo sobre as cinco ineficiências operacionais que o Pix promete eliminar do ecommerce.

Continue neste artigo para ler sobre:

  • O impacto no mercado brasileiro
  • Números VTEX sobre o impacto no comércio digital
  • Resultados durante a Black Friday

O impacto do Pix no mercado brasileiro

12 milhões de transações e 9,3 bilhões de reais transacionados. Esse foi o resultado da primeira semana de operação do Pix, segundo dados do Banco Central.

No dia 03 de dezembro o número de transações pulou para 43 milhões, 37% acima do que a tendência de crescimento indicava na primeira semana.

Considerando que muitos varejistas/lojistas ainda estão no processo de adaptação e implementação do Pix, a tendência é que a curva de maturidade do novo meio de pagamento seja alcançada em 2021, quando o comércio aderir em peso à nova modalidade.

Em pesquisa encomendada pelo C6 Bank ao IBOPEdtm, 92% das pessoas atestaram conhecer o novo meio de pagamento. Ainda assim, um terço desses participantes respondeu que a decisão de usar a nova modalidade iria ocorrer à medida que obtivessem mais informações sobre o novo sistema.

Hoje, quase um mês após o lançamento do Pix, os resultados encorajam o comércio digital.

Números VTEX sobre o impacto no ecommerce

A maioria das transações efetuadas nos primeiros dias de operação do Pix foram entre pessoas físicas, segundo dados do Banco Central. Isso porque o comércio continua em processo de adaptação à nova modalidade.

A fim de analisar o impacto diretamente no ecommerce, fizemos um estudo com as transações de nossos mais de 200 clientes que já operam com o Pix.

Os dados consideram todas as transações via Pix registradas na plataforma VTEX entre os dias 16 de novembro (lançamento do Pix) e 06 de dezembro (pós Black Friday).

Valor das transações via Pix

Muitas foram as especulações sobre os volumes que seriam transacionados via Pix. Isso porque ele vem como uma modalidade de pagamento à vista, sem a possibilidade de parcelamento.

No período analisado, o ticket médio das compras via Pix na plataforma VTEX ficou em R$ 134,48.

Uma tendência é que o Pix desbanque o querido boleto em transações com ticket médio mais baixo, já que traz uma experiência muito mais amigável. A título de comparação, analisamos o ticket médio dos pagamentos via boleto durante o mesmo período e chegamos no valor de R$ 484,33.

Obviamente precisamos levar em consideração que o novo meio de pagamento foi lançado há apenas um mês. Dessa forma, a curva de aprendizado dos próximos meses deve levar a um aumento notório desse ticket médio.

Já os cartões de crédito, prometem continuar na mão e no coração dos brasileiros, considerando que oferecem condições diferenciadas de parcelamento.

Ainda, apesar de 56% de todas as transações terem sido entre R$ 100,00 e R$ 499,00, nossa plataforma também processou uma transação de R$ 15.386,00. Uma exceção, mas que ilustra como a modalidade está preparada para operar transações mais altas.

Transações por faixa de valor

Estendendo a análise do volume transacionado via Pix, vemos que 88,3% de todas as transações foram até R$ 499,99. Ao que tudo indica, o Pix chega principalmente como uma opção para setores que tem carrinhos com ticket médio mais baixo.

É importante lembrar, porém, que essa análise leva em consideração as três primeiras semanas de uso da nova modalidade. À medida que a maturidade em relação ao Pix aumentar, é possível que os valores transacionados também cresçam. 

Por se tratar de uma nova modalidade, é justo dizer que os consumidores ainda estão testando a nova experiência.

Tempo médio das transações

Uma das grandes vantagens do Pix é a liquidação imediata dos valores em conta. Os benefícios para o comércio são vários:

  1. Fluxo de caixa mais saudável, com o dinheiro entrando em conta instantaneamente.
  2. Diminuição de casos de sequestro de estoque, já que o produto é “segurado” apenas no período da transação. Caso a transação não seja efetuada, o produto volta para a vitrine
  3. Otimização dos processos de conciliação, já que o valor transacionado é liquidado imediatamente.
  4. Melhora no processo de logística, que pode garantir uma entrega agilizada.

Segundo dados VTEX, 97% de todas as transações via Pix foram aprovadas em até 5 minutos. 

É aqui que podemos estender a discussão sobre os diferenciais do Pix em relação ao boleto. No caso do segundo, além de demorar até dois ou três dias para ter o pagamento compensado, mais da metade dos boletos gerados nunca são pagos. Esse comportamento já conhecido ocasiona altos custos operacionais e sequestro de estoque, prejudicando toda a operação.

A tendência é acompanharmos uma diminuição gradual no uso do boleto; mas vale salientar que esse será um processo longo, de acordo com a curva de maturidade do Pix.

Pix na Black Friday

A Black Friday foi a primeira prova de fogo do Pix

A verdade é que muitos varejistas ainda não estavam preparados para aceitar o novo meio de pagamento já que sua data de lançamento ficou próxima do dia mais importante do varejo.

Mesmo assim, o número de transações entre os dias 25 e 29 representou 50% de todas as transações processadas via Pix no período analisado (16/11/2020 – 06/12/2020). Além disso, a sexta da Black Friday (27) registrou o maior número de transações do período.

Uma tendência importante que notamos na pós Black Friday foi que o número de transações e volume transacionado tiveram um crescimento considerável em relação à pré Black Friday.

Potencialmente, a data serviu como um importante marco de adoção da nova modalidade.

O futuro do novo meio de pagamento

A curva de aprendizado do Pix deve ser alcançada em 2021. É certo que o comércio ainda tem um longo caminho a percorrer, mas os primeiros números já encorajam.

Uma vez que os varejistas aderirem em massa à nova modalidade, oferecendo vantagens e condições especiais para os consumidores, o Pix deve ser cravado como o segundo meio de pagamento preferido dos brasileiros.

Agora é o momento de se preparar e oferecer melhores condições para os clientes.

Se você já usa a plataforma VTEX e quer usufruir de todas essas vantagens, acesse nossa página sobre o Pix e aprenda como configurar o Pix na sua loja VTEX.

Continue lendo: artigos relacionados
Produto

Além do esperado: os times de produto poderosos da VTEX

Como pessoas comprometidas, um mindset de produto e uma linguagem baseada no futuro geram resultados além do que…

Guilherme Rodrigues
Guilherme Rodrigues
Estrategia

Conversational commerce: o potencial de conversas relevantes e humanizadas para o varejo

Já sabemos que a transformação digital vem provocando mudanças substanciais em todos os segmentos de mercado ao longo…

Take Blip
Take Blip
Produto

Como o Pix promete eliminar cinco ineficiências operacionais do e-commerce

O Pix é o novo meio de pagamentos instantâneos do Banco Central (Bacen) que entra em vigor dia…

Juliana Sales
Juliana Sales
Marketing

Black Friday: ajude seu cliente a encontrar o que procura com o VTEX Intelligent Search

Como ajudar seu cliente a encontrar o que procura? Melhorando a Busca do seu e-commerce! Neste artigo, você…

Gustavo Vedotti
Gustavo Vedotti
Gestão

Black Friday: o guia definitivo para criar Promoções na VTEX

Estamos há poucas semanas da Black Friday, um dos maiores evento de vendas do ano no Brasil. A…

Natalie Tang
Natalie Tang
Estratégia

Marketplace e a magia em vender através dos Shoppings virtuais

Vender pela internet nunca esteve tão em alta como nos tempos atuais.  Termos como “Quero vender mais”, “Como…

Caetano Maffra
Caetano Maffra
Produto

Pix no e-commerce: tudo o que você precisa saber

Neste artigo, você encontrará todas as informações necessárias para entender o impacto do Pix no e-commerce, para lojistas,…

Cassiane Vilvert
Cassiane Vilvert
Produto

Por dentro do roadmap de uma empresa Visionária: o que você ainda pode esperar da VTEX em 2020

A VTEX foi considerada Visionária no Quadrante Mágico do Gartner para Comércio Digital de 2020, e de acordo…

Cassiane Vilvert
Cassiane Vilvert
Produto

A experiência de pesquisa impulsionada por IA do Grupo Éxito

Têxteis, perecíveis, eletrônicos ou móveis. Pense numa categoria e provavelmente a encontrará no Grupo Éxito. O sucesso contínuo…

Sorana Gheorghiade
Sorana Gheorghiade
Veja Mais
Registro feito com sucesso